sexta-feira, 22 de julho de 2005

PERSEGUIÇÃO ADMINISTRATIVA!

A leitora do VOX LIBRE, Maria Alyce de Castro, colocou um comentário em nosso post "Limpando as gavetas, e os cofres...", quando aproveitou para perguntar como o editor deste blog suporta tantas sindicâncias movidas por seus pares ou (ím)pares, por causa da prisão do "seu" DUDA MENDONÇA.
Respondo com um trecho do livro "TEORIA E PRÁTICA DO PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR", do respeitabilísimo jurista, com vários livros publicados, Professor e Doutor JOSÉ ARMANDO DA COSTA, delegado de polícia federal aposentado, este sim, meu PAR.
O referido livro, está esgotado em sua quinta edição!
O doutor JOSÉ ARMANDO diz o seguinte, às fls. 507 da mencionada obra:
"O bom desempenho do serviço público não pode prescindir da dignidade individual dos seus servidores, mas determinados administradores, fazendo tábula rasa dessa enobrecedora característica dos homens de bem, concebem que é dever do punido se resignar diante de tais reprimendas, ainda que elas sejam resultantes do ódio e da perseguição do chefe imediato do servidor injustiçado.
Esses despreparados gestores da coisa pública acham que a sua verdade, por mais que seja frágil de realidade, deve ser acatada como se fosse algo divinal e sagrado.
Querem tal realidade a todo custo, mesmo que em detrimento dos serviços que dirigem.
Vale para esses arbitrário chefes o servidor resignado e obediente, mesmo que o seu avacalhamento redunde na sua baixa produtividade."
Eu não escolhi a luta, mas, uma vez que ela se apresente, não vou refugar!
É como diz o velho adágio popular:
"dou um boi para não entrar numa briga, mas uma vez dentro, dou uma boiada para não sair dela!"

2 comentários:

Elaine disse...

É isso aí delegado! Não desista mesmo. Meu foi funcionário público 30 anos e não deixou nenhum inquérito(leia-se CMB) sem resposta. Passou o cão lá dentro chegando a enfartar e pedindo sua aposentadoria. Aquilo lá sim, é uma máquina de maluco e do inferno.

acarolhonda disse...

sou enfermeira dedicada ao serviço, tenho compromisso com a instituição, e agora estou sendo perseguida por uma coordenadora que nem me conhece. Isto fere com a dignidade da gente e me identifico com você.E dou todo o meu apoio para você e acredito fielmente na justiça.