sábado, 18 de junho de 2005

O Rei LUIS XVI e a Campanha do Desarmamento!


No governo de Luis Augusto, coroado como LUIS XVI, Rei da FRANÇA em 1774, a sede do governo ficava no Palácio de VERSAILLES (v. foto acima), habitado por cerca de 4.000 membros da corte, em 226 apartamentos num total de 500 quartos.
O palácio de VERSAILLES era ABERTO AO PÚBLICO, e era visitado por cerca de 10.000 cidadãos todos os dias!
Para visitar o palácio era necessário apenas estar vestido "decentemente" e PORTAR UMA ESPADA!
NÃO ERA PERMITIDO O INGRESSO DE CIDADÃOS DESARMADOS!
A guarda do Palácio de VERSAILLES "emprestava" espadas a cidadãos que não as possuíssem, e que quisessem visitar a sede do real governo Francês.
Tratava-se de uma ordem direta do REI LUIS XVI.
O REI queria demonstrar que CONFIAVA, e MERECIA A CONFIANÇA de seus cidadãos!
Por esse motivo, queria seus súditos andando "ARMADOS" dentro do PALÁCIO REAL!
Tudo isso aconteceu em um governo monárquico absolutista do século XVIII.
No BRASIL de hoje, do Estado de Direito Democrático, o governo quer desarmar os cidadãos de bem.
Apenas os cidadãos de bem, porque os bandidos continuam muito bem armados, e não vão entregar suas armas na Campanha do Desarmamento.
Sob a ótica do Rei Luis XVI, ou o governo brasileiro não confia em seus cidadãos de bem, ou está mal intencionado em relação a eles!!!
Posted by Hello

6 comentários:

elaine disse...

Vox Libre também é cultura.
Eu não tenho arma. E mesmo que pudesse não o teria porque tenho pavio curto demais e acabaria fazendo bobagem. No entanto, sou a favor de que o homem de bem e que sabe usar uma arma com inteligência(se é que isso é possível)permaneça com seu direito de se defender.
Bom final de semana a todos!

Ricardo Rayol disse...

Só posso sugerir que vejam o filme "Tiros em Columbine". Pq cidadãos de bem precisam de armas?

Jaime Leitão disse...

Assisti "Tiros em Columbine" e concordo com Ricardo. Armas nunca são uma boa companhia. A Elaine disse que tem pavio curto. Quantas pessoas por aí também são impulsivas e numa discussão de trânsito podem cometer um crime.
Lembram-se do pintor gaúcho Iberê Camargo, um dos maiores artistas brasileiros contemporâneos? Ele matou um engenheiro em uma discussão na rua no Rio.
Fora muitos outros casos.
Concordo que a Segurança tem que melhorar mil por cento, mas liberar armas para os cidadãos de bem se defender dos criminosos acaba provocando a morte de mais inocentes.

elaine disse...

Jaime eu não vi "Tiro em Columbine", mas lembro-me bem da estória do pintor Iberê Camargo.
Ainda assim, acredito que cada um tenha o direito de fazer sua opção.
Como já citei eu não tenho equilíbrio para portar uma e, por isso, prefiro mantê-la bem distante de mim.
Eu não sei se algum de vocês chegaram a ver uma matéria nos Jornais de uma esposa de um militar(aconteceu lá pelas bandas de Niterói)matou um "homem" que invadiu sua casa.
O marido estava viajando e, acho(não lembro mais)que de madrugada ela escutou o barulho de vidros quebrando. A mulher não pensou duas vezes, pegou a arma do marido e foi olhar a casa. No corredor ela deu cara com o "homem" e atirou nele. O "homem" morreu ali mesmo e ela entrou em pânico naquele primeiro momento. Após á chegada da polícia descobriu-se que este "homem" era um estuprador procuradíssimo. Pois é, se ela não tivesse uma arma poderia ter sido estuprada e morta.
Ter ou não uma a arma é uma decisão muito particular e cabe a cada cidadão, saber se deve ou não ter uma.
Sds

elaine disse...

ooppsss.."tiros em columbine"

Luis Gonzaga -Curitiba/PR disse...

Olá, boa noite.

Invocar um filme de um farsante como o Michael Moore para defender o desarmamento é demais pra mim. Sou contra o desarmamento das vítimas. E, ao contrário do que foi dito pelo Jaime, não é que se queira "liberar" armas - isso já é permitido - mais ou menos. O que se quer é proibir. Até bem pouco tempo, quem quisesse optar por fazer sua própria segurança e provasse ter condições para isso posdia fazê-lo. Agora já não é tão simples assim... e estão querendo tornar isso impossível. Sou contra a morte, sou a favor da vida. Mas vida sem poder fazer escolhas não é vida. Vida sob ameaças e sob imposições não é vida. Vida sem liberdade não é vida! Abaixo o desarmamento. Viva o direito de escolher!