sexta-feira, 17 de agosto de 2007

Metendo a mão no nosso bolso... de novo!!!

Há cerca de quatro anos, adquiri e instalei no meu automóvel um desses dispositivos GPS de rastreamento e bloqueio.
O equipamento custou cerca de R$ 1.200,00 (mil e duzentos reais) e tenho que pagar uma mensalidade de R$ 80,00 (oitenta reais) a uma empresa especializada que opera o sistema.
O sistema realmente funciona: se o carro for roubado, seu funcionamento é bloqueado à distância e ele é localizado e pode ser recuperado pela polícia, isso é claro, se os criminosos enfurecidos não o incendiarem, como já aconteceu várias vezes no Rio de Janeiro.
Aí você só vai recuperar a carcaça queimada e poderá tentar vendê-la como uma escultura pós-moderna!
O caso é que o CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito) acaba de anunciar que vai baixar uma norma obrigando as montadoras de veículos a instalar tal sistema em todos os automóveis fabricados no país a partir de agosto de 2009.
Como as montadoras de veículos não são bobas nem nada, vão embutir o custo do aparelho (que não é barato), no custo final dos automóveis.
Todo mundo vai ter que “comprar” o tal dispositivo quer queira ou não!
E o problema é que o tal GPS não vai funcionar, a não ser que você contrate o serviço de uma empresa operadora e pague uma mensalidade que pode variar de R$ 50,00 (cinqüenta reais) a R$ 100,00 (cem reais).
É como se você não quisesse um telefone celular e fosse obrigado a comprar um aparelho... sem linha!!!
Eu não sei onde o tal aparelho está instalado no meu carro, porque por uma questão óbvia de segurança, os técnicos o instalam em locais secretos e aleatórios, para que os ladrões não possam desativá-lo.
Quando a nova “norma” do CONTRAN entrar em vigor, os tais aparelhos serão instalados em uma linha de produção e, por isso, sempre no mesmo lugar do automóvel, o que tornará fácil para os ladrões a tarefa de encontrar e desativar o aparelho.
O caso me lembra uma outra história semelhante:
Em 1999 o mesmo CONTRAN tornou obrigatória a presença em todos os automóveis de um kit de primeiros socorros e quem não colocasse o tal kit no carro seria punido com uns duzentos anos de cadeia!
Muita gente ganhou dinheiro vendendo os kits de primeiros socorros para os otários de sempre... NÓS!
A exigência durou só três meses porque logo se percebeu que um kit de primeiros socorros não valia nada nas mãos de quem não soubesse usá-lo!
Mas o tempo foi suficiente para meterem a mão bem fundo no bolso dos contribuintes donos de automóveis.
As autoridades brasileiras são mestres na arte de criar pretextos para avançar no dinheiro dos cidadãos.
A história dos GPS obrigatórios nos automóveis é um filme velho que todos nós já assistimos muitas vezes.
Os fabricantes dos GPS e as empresas que operam os sistemas devem estar rindo à toa e se sentindo muito gratas à iniciativa do presidente do CONTRAN!
Resta saber se eles vão encontrar alguma forma de manifestar essa gratidão ao presidente do CONTRAN!
Os brasileiros são, provavelmente, o povo mais tributado do mundo, mas o governo não consegue proporcionar alguns serviços básicos como a segurança pública, por esse motivo, se nosso carro é roubado, o problema é inteiramente nosso.
Os tributos que pagamos não são suficientes para que o governo evite o roubo de nosso patrimônio e assim, temos que pagar de novo para ter segurança.
Esse tipo de manobra, de criar despesas obrigatórias para cidadãos e gerar ganhos para setores privados, costuma dar cadeia em países sérios.
Em Banânia não acontece nada...
A não ser, é claro, a tradicional metida de mão no bolso quase vazio do contribuinte!

6 comentários:

Eduardo disse...

Sem falar que na época dos tais kits médicos, empresas com capital público, como o Banco do Brasil distribuiram gratuitamente milhares desses apetrechos. Ou seja, se você não comprou, mas ganhou, comprou mesmo assim, e superfaturado! ;)

Cathalá disse...

Você coloca a questão como se a iniciativa tivesse partido do Contran, o que duvido muito. Certamente algum lobista de empresa que presta esse serviço é que foi incutir a idéia na cabeça dos dirigentes do Contran que, possivelmente com interesses pessoais, resolveram impor isso a todo o país.

De qualquer forma, absolutamente corretos os teus apontamentos, os quais complemento com notícias divulgadas na mídia que dão conta de que se estuda isentar os "carros populares" da obrigatoriedade de instalação do GPS, ou seja só a classe média baixa, incluindo-se aí os policiais, é que vai ter seus carros roubados.

Seria muito mais interessante dotar as polícias de meios humanos e materiais para inibir com eficiência o furto/ roubo de veículos que adotar mais essa medida absurda e sem precedente nenhum no mundo.

Se mais esse absurdo passar, poucos vão querer contratar seguro de carro, daí começa o lobby das grandes seguradores, etc, etc, etc...

Grande abraço

Marcos disse...

Impressionante como, para mim, parece que alguém vai ganhar muito dinheiro com isso. Acho que já vi isso antes aqui em Banânia...
E mais tarde, além dos carros que já deverão sair de fábrica com GPS, os carros usados também deverão instalar o aparelho.
Até que apareça algum juiz bom da cabeça, e decida que isso é venda casada, é ilegal, não pode, está errado, etc.

Anônimo disse...

Enquanto mantermos farra das ONGs, mensalões, Romanée-Conti nas festas governamental, etc, calados, seremos sempre um alvo-mina para enriquece-los. Quando não criam um imposto, veem com uma dessas aí. Será que vou ser obrigado? Compro o carro, com o dispositivo, depois contrato uma empresa que no mínimo terá o filho de Lula como sócio. Ta foda!!!

Serei um ordinário em dizer que merecemos isso?

Klatos

Turmalina disse...

Falando em Banânia, hoje recebi esta por e-mail:

O avião tenta pousar... derrapa... não freia... a pista é pequena....
o reverso não funciona... não tem área de escape... tenta subir
novamente... bate no prédio... explode.... pega fogo... morrem 200 pessoas... e sabe quem vai preso ?

O DONO DO PUTEIRO !

Só pode ser brincadeira !

Newton Santos disse...

Amigo:

Esqueceu daquele selo que há muitos, muitos anos atrás os carros a álcool eram obrigados possuir ?

E aquele selinho no para-brisas que informava que o veículo estava licenciado ?

Preciso começar a bolar algum selinho, quem sabe não ganho uns troco.