sábado, 1 de abril de 2006

Alberto Santos Dumont tem tudo a ver com isso, mas guardadas as devidas proporções!

O VOX LIBRE parabeniza o primeiro "astronauta brasileiro", todavia, com todo o respeito por quem pensa o contrário, o VOX LIBRE acha que esse negócio de "astronauta brasileiro" já está passando dos limites do razoável em termos de ufanismo e de patriotada gratuita e injustificada.
Junto com o Coronel Marcos Pontes o senso do ridículo nacional parece que também foi para o espaço.
O fato é importante sim, mas sem exageros!
A apresentadora de um telejornal um dia desses disse que a viagem do "astronauta brasileiro" era um grande passo para a ciência brasileira.
A moça estava completamente deslumbrada e talvez desinformada!
Relevantes vozes da comunidade científica nacional vêm se manifestando de forma crítica nos últimos dias divulgando opiniões importantes que merecem reflexão:
O vôo do "astronauta brasileiro" não traria nenhuma contribuição para o avanço tecnológico nacional ou para o programa espacial brasileiro!
As oito experiências científicas que ele realizará no espaço, a bordo da ISS (estação espacial internacional), não são sequer inéditas, pois já foram feitas anteriormente por astronautas europeus.
O projeto de construção da ISS (estação espacial internacional) iniciado em 1998, previa a participação do Brasil com componentes orçados em cerca de 120 milhões de dólares, apenas 0,12% do total do custo de construção da ISS, o que significou uma concessão política importante dos países que realmente arcariam com o custo da ISS, pois fica claro que a contribuição do Brasil poderia ser perfeitamente dispensada, dada sua insignificância.
Tais componentes deveriam ser desenvolvidos com tecnologia brasileira e, isso sim, constituiria um avanço da ciência nacional justificando os gastos.
Acontece que os componentes brasileiros deveriam ser entregues até 2004 e, até hoje, o Brasil não compareceu com nenhum parafuso ou "rebimboca" espacial, significando, no mínimo, um menoscabo à consideração que nos foi dada!
Se o Brasil tivesse cumprido sua parte, astronautas brasileiros viajariam para a ISS sem qualquer custo adicional.
Como isso não aconteceu, a viagem do Coronel Marcos Pontes custou cerca de 10 milhões de dólares aos cofres públicos.
Tal quantia poderia ser mais bem empregada em projetos científicos aqui mesmo, segundo opinião de especialistas da área.
A Estação Comandante Ferraz, por exemplo, (presença brasileira na Antártida), está literalmente caindo aos pedaços por falta de verbas.
A decisão de investir agora na viagem do primeiro "astronauta brasileiro" tem o propósito publicitário de associar o evento aos 100 anos do vôo do 14 Bis, daí a denominação Missão Centenário.
Associar o feito de Alberto Santos Dumont à viagem do "primeiro astronauta brasileiro" é uma comparação despropositada.
Santos Dumont não “pegou uma carona” num projeto científico estrangeiro!
Santos Dumont entrou para a história mundial como o “pai da aviação” por ter desenvolvido inéditas tecnologias próprias!
Em 1901 o brasileiro Santos Dumont transformou os balões de hidrogênio (até então artefatos de vôo errático), em um meio de transporte, tornando-os “dirigíveis”!
Em 1906 Santos Dumont realizou o primeiro vôo autônomo com um aparelho mais pesado que o ar, o 14 Bis, decolando do solo sem qualquer auxílio, ao contrário da experiência anterior dos norte-americanos, os irmãos Wright, que “voaram” em um aparelho lançado ao ar com uma catapulta.
Como já disse um sábio, “catapultada” até uma vaca pode voar por algum tempo!
Como é possível imaginar o efeito, na Paris de 1906, de um brasileiro voando nos céus da cidade em uma aeronave construída por suas próprias mãos?
Considerando ainda que até então a expressão "aeronave" era um conceito desconhecido!
Pode até ser correto afirmar que os foguetes não seriam possíveis sem a invenção de Santos Dumont mas comparar o histórico evento tecnológico do 14 Bis ao “primeiro astronauta brasileiro” é apequenar Santos Dumont!
Está parecendo uma espécie de Big Brother cósmico, com interesses publicitários da Rede Globo de Televisão com direito até a entrevista exclusiva no Jornal Nacional de hoje, do astronauta brasileiro diretamente da ISS em órbita para o público tupiniquim embasbacado
Logo virão as declarações do tipo “nenhum governo mandou antes um brasileiro para o espaço!”
Injustiça!
Por causa da política econômica do atual governo muitos brasileiros têm ido “para o espaço!”

5 comentários:

Sérpico disse...

O Pontes gosta de um pizza e se for com dinheiro e fama para ele melhor ainda. Temos que acabar com essas paiasadas. O povo tem fome, quer emprego, segurança e um sistema de saúde confiavel e não Brasileiros no espaço sideral comendo a pizza que o povo pago.

Marcia Graminhani disse...

O seu texto está irretocável. Um apanhado cristalino da situação: demagogia da melhor qualidade pra meia dúzia de tupiniquins deslumbrados. O lançamento vai e acontece no mesmo dia da leitura do relatório final da CPMI dos Correios. Tá certo que aquele relatório também irá pro espaço, mas, puxa, eu queria ouvir a leitura dele e não ficar olhando pra um foguete fazendo fumacinha...

Augusto disse...

Vou lhe falar Delegado eu não tenho medo do PT nas eleições, na verdade eu tenho medo dessa rede de tv nefasta, arregada fazendo barganha com o PT, isso sim, decide eleição. Quando querem alguma coisa brincam com o governo de morde e assopra até conseguir o que querem.É tudo muito sórdido.

Ricardo Rayol disse...

Mandou muito bem. Além disso, as peças que deveriam ser a porta de entrada de empresas de tecnologia de ponta nacionais foram parar na mão do SENAC. Estranho? E é!

Raul Balboa disse...

Segundo a "Folha de São Paulo" era paraser pago 20 milhões de d[ólares,é o que eles sempre cobraram.O desconto de 10 milhões aconteceu devido ao interesse Russo em Alcântara por ficar na linha do Equador.