quarta-feira, 1 de fevereiro de 2006

MÃES QUE MATAM FILHOS!

A maternidade sempre foi uma instituição sagrada mas, ultimamente, em tempos de século XXI, fatos estarrecedores mostram que há exceções!
Mães que colocam bebês de 2 meses de vida em sacos de lixo e os jogam nas águas para morrer, e mães que "tramam" a morte de filhos adultos.
O VOX LIBRE continua a acreditar, infelizmente, no APOCALIPSE, no "fim dos tempos"!
Financiamento para matar o filho.
de Josie Jeronimo
Nem o delegado do pequeno município de Ipojuca, em Porto de Galinha, acredita.
A pacata aposentada de 76 anos Amara da Conceição Silva tomou empréstimo de R$ 1 mil junto ao Banco Itaú para financiar o assassinato do próprio filho.
O motivo seria a disputa por um imóvel.
Por meio do crédito consignado concedido a pensionistas, Amara contratou pistoleiro para dar fim ao filho Cícero Felix Dionício, de 46 anos.
O executor do crime, Milton José de Araújo, recebeu duas parcelas de R$ 400 para matar Cícero.
Cautelosa com o dinheiro, obtido a juros de 4,42%, a aposentada só entregou a segunda parcela a Milton no dia 4, quando Cícero apareceu morto com 5 tiros.
No dia seguinte, a mãe chorou no velório do filho.
Como se nada tivesse acontecido.
Os R$ 200 que sobraram do empréstimo, a ser pago em 36 parcelas de R$ 56, foram embolsados pela filha de Amara, Luzinete Maria da Silva.
Ela negociou o desconto com o matador.
Amara não idealizou sozinha a morte do filho.
Teve ajuda de Luzinete e do seu genro, Eduardo Silva.
Eles a acompanharam até o banco.
Acertaram detalhes do empréstimo.
Luzinete e Eduardo estão presos.
A funcionária da prefeitura de Ipojuca, não aparenta remorsos pela morte do irmão.
Alega que ele dava surras na aposentada e a morte foi um alívio.
O delegado Valdimir Maximiano tem dúvidas quanto a motivação da aposentada.
Ele acredita que a hipótese mais provável seja a briga por uma casa.
Amara queria transferir o imóvel para o neto de 23 anos, filho de Luzinete. Cícero, herdeiro da casa, se opunha.
Vizinhos confirmam a versão e contam que a família estava em pé de guerra.
A aposentada tinha predileção pelo neto, porque o rapaz sempre a acompanha ao médico.
O crime aconteceu há três semanas, mas somente agora surgiram indícios que ligam Amara ao crime.
"Em 25 anos de polícia nunca vi uma mãe querer matar o filho."
espanta-se o delegado de Ipojuca.

7 comentários:

LCMarques disse...

Trabalhei em uma Empresa de Seguros e vi, por algumas (poucas, é verdade), mães que falsificavam assinaturas de filhos para receberem indenizações.
Chocante, mas real.
E ainda por cima vinham com argumentos de desmoralização que chocavam mais ainda.
O que o dinheiro não faz...

Elaine disse...

É o fim dos tempos mesmo!
Sds...Elaine

Antonio C Santos disse...

TUDO pode acontecer, inclusive mães matando filhos, crianças morrendo de fome, pobre ficando miserável, policiais federais como aeromoças, presidente que não sabe de nada...esperar mais o que? Será que o Salvador desistiu de nós?

em tempo: o que houve com ucho.info?
Obrigado

Alice disse...

Nem sei o que colocar ,o que pensar ,fico passada :(

Sérpico disse...

O fim está perto. Temos que estar preparados.

Helena disse...

Filhos matando pais, pais matando filhos, reinos contra reinos, estamos no Apocalipse e de acordo com as minhas premonições, não demorará a no Era. Deus precisa fazer um expurgo, uma limpeza, tudo está governado pelas forças do mal. Precisamos orar e vigiar muito!

Graça disse...

Não me espanta em nada, num país que querem legalizar a matança de bebês, não fico nem consternada com a notícia.
Afinal, este filho ainda teria chance de se defender. E o bebê que tem como "leito de morte" o ventre daquela que o devia protejer.
Que tem como sepulcro a lata do lixo, e querem financiar Esse horror com nossos impostos.
Que merece a mãe que mata o filho?
Que merece a mulher que aborta?
Discriminalizar qual dos crimes?
Existe diferença?
Há sim o aborto é mais cruel, pois é um ser 100% inocente.
Que Deus nos livre da Maldição de mães assassinas. Que se arrependam a tempo.
Que nossas Autoridades acoredem, que o povo não acate o que a mídia quer que acatem, mas sim que acatem a VIDA; doente ou não, nova ou idosa, anencéfalo ou não.
Deixemos que a VIDA siga seu curso normalmente.
Que mães não matem seus filhos, por NENHUM motivo.