segunda-feira, 7 de novembro de 2005

O BNDES do PT!!!

Em 2003 o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin pleiteou junto ao BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social ) R$ 394 milhões para concluir as obras do metrô da Vila Mariana até o bairro do Ipiranga.
Na época o então presidente do BNDES Carlos Lessa e sua área técnica aprovaram a operação, mas o Carlos Lessa caiu e assumiu o cargo Guido Mantega, homem de confiança e da "tchurma" do todo poderoso José Dirceu, que imediatamente vetou o empréstimo ao governo tucano de SP por estar perto de eleições municipais não levando em conta a importância desta obra para o povo da cidade de São Paulo.
Esta obra está sendo tocada com recursos próprios de São Paulo sem nenhum tostão do BNDES.
Agora pasmem!
O BNDES, que administra o dinheiro público, sob a batuta de Mantega e então, o super ministro José Dirceu está financiando as obras do metrô de CARACAS na Venezuela do presidente Hugo Chaves (amigo de LULA).
Quer mais?
O BNDES do PT está financiando a compra de ônibus para a CUBA de Fidel Castro (amigo de LULA).
E Outra!
A TELEMAR (maior empresa de telefonia do país, usa dinheiro do BNDES para investir na G4 Entretenimento e Tecnologia Digital, empresa que pertence ao filho do LULA, Fábio Luiz Lula da Silva, o LULINHA.
O dinheiro do BNDES, é o NOSSO SUADO DINHEIRINHO "arrancado" na maior carga tributária do mundo!
Fonte: Editorial do Jornal da Tarde de 24/07/2005

6 comentários:

Augusto disse...

O Lula administra o país como se fosse sua Capitania Hereditária, usa o poder executivo federal para ajudar a si mesmo e seus mestres.O BNDES se quiser ferra com a Globo, só não faz isso porque ela está bem boazinha com o governo.A globo fica no jogo de morde e assopra para lembrar seu poder de fogo ao governo.

Alice disse...

Perguntinha idiota a minha : mas e ninguém vai fazer nada ? Isso é legal ?
Hã ?????
Bom dia .

helena disse...

Estão financiando tb, obras na Nicarágua e Bolívia, é o BNDES, realizando o projeto bolivariano socialista de Chavez.
O Lema do Governo é: Aos meus tudo, ao povo pão e circo, ou o picadeiro, já que somos todos palhacos!

Elaine disse...

Eu não li a matéria toda e talvez esteja falando bobagem, mas o BNDS também está criando o maior problema com a Varig e a TAP. O que me chamou a atenção na notícia é que o BNDS me parece que nega sua participação na compra. Aí eu não entendi nada. O BNDS estaria representando o governo? O governo vai comprar uma parte das ações da Varig? Mas a Varig não deve ao governo? Caraca, deu nó nas minhas idéias ou eu estou muito lesada em minhas leituras e não entendi o que li.

Sds...Elaine Paiva

Márcio Leal disse...

Caros e caras,

Esse texto não é um editorial do Jornal da Tarde, nem é uma notícia... É apenas um artigo publicado por um deputado bem safadinho do PSDB, chamado João Caramez, que foi secretário do Covas.... E ele tem direito a dizer o que quiser, quer tenha provas ou não...

Abaixo, vai o artigo completo dele...

Mais uma vez, rogo a todos: NÃO ACREDITEM EM TUDO QUE LÊEM NA INTERNET! Pesquisem q temos toda a informação às mãos....

ABS fraternos!!!!

Márcio
=======

JORNAL DA TARDE (SP) • OPINIÃO • 24/7/2005
O jeito PT de governar


João Caramez
Na última semana, o governador Geraldo Alckmin acompanhou, com técnicos e a imprensa paulista, o encontro de dois túneis que estão em construção nos subterrâneos da cidade para levar o metrô da Vila Mariana até o bairro do Ipiranga. Além de ser uma obra significativa para a melhoria do transporte na cidade de São Paulo, expandir o metrô até o bairro do Ipiranga representa um investimento de cerca de R$ 900 milhões, que será integralizado pelo governo do Estado de São Paulo até setembro de 2006, data prevista para a operação do novo trecho do metrô paulistano.
Esses recursos, vale destacar, são provenientes exclusivamente da Secretaria da Fazenda do governo do Estado de São Paulo, fruto dos impostos pagos pela população. Não há financiamento interno nem externo, muito menos dívida para o governo futuro. Expandir a Linha 2 do metrô até o Ipiranga representa dar transporte diário e digno a 100 mil paulistanos, emprego a mais de 4 mil brasileiros, além de desenvolver a engenharia e a indústria nacional.
Nos dias de hoje, abrir os jornais do País e ver uma matéria positiva, como a de expansão do metrô paulista, é um alento para os leitores diante de tantas notícias ruins que abalam a política brasileira.
Durante a inspeção à obra do metrô, o governador teve de explicar, por incrível que pareça, que a expansão da Linha 2 do metrô está sendo realizada pelo governo do Estado e com recursos do Estado de São Paulo, e não pelo governo do presidente Lula e com recursos federais do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social BNDES, como foi veiculado em recente peça publicitária do Partido dos Trabalhadores PT, exibida em horário nobre na televisão.
Realmente, a Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) pleiteou um financiamento ao BNDES, no valor de R$ 394 milhões, para avançar com as linhas do metrô até a Estação Imigrantes, próxima à Avenida Ricardo Jafet. A área técnica do banco, em 2003, ainda sob o comando do ex-presidente Carlos Lessa, tinha aprovado a operação. Carlos Lessa caiu. Guido Mantega subiu e o dinheiro para o metrô paulista sumiu. Mantega, mais afinado à política encetada pelo ex-ministro todo-poderoso José Dirceu, não quis facilitar a vida do governo paulista, muito menos em época de eleições municipais. As garantias aceitas pelo banco na administração Lessa já não serviam mais ao BNDES, sob a batuta de Mantega.
O empréstimo do BNDES para a construção da Linha 2 do metrô não saiu. O governo de São Paulo está tocando as obras com recurso do Estado, sem contar com um "tostão" do BNDES ou do governo Lula. Mesmo assim, o PT veiculou na tevê que só no governo do presidente Lula é que o metrô retomou suas obras, com os recursos do BNDES e imagens da Estação Imigrantes em construção. A propaganda do PT é, no mínimo, enganosa ou foi uma apropriação indébita de uma obra do governo do Estado de São Paulo.
Não podemos esquecer que no mesmo período o BNDES, que é um banco de desenvolvimento social do governo federal, que lida com o dinheiro público, financia as obras do metrô de Caracas, na Venezuela, para o presidente Hugo Chaves, ônibus para Cuba, do ditador Fidel Castro, a Telemar, a maior companhia de telefonia do País que, por sua vez, investe na G4 Entretenimento e Tecnologia Digital, empresa que pertence também a Fábio Luiz Lula da Silva, e até no Banco de Minas Gerais BMG, que empresta dinheiro às empresa DNA e SMP&B do "empresário" Marcos Valério, que empresta ao "caixa 2" do PT.
É o jeito PT de governar. Confunde obra do Estado de São Paulo com obra do governo federal, dinheiro público com dinheiro privado. Miscigena o governo federal e o Partido dos Trabalhadores numa geléia geral, numa "maracutaia" homogênea, impossível de separar.

João Caramez é deputado estadual pelo PSDB
e foi secretário da Casa Civil do governo Covas

Anônimo disse...

Recebi um email sobre os desvarios do governo lula e fiquei particularmente impressionada com eventual financiamento do metro de caracas.
Buscando maiores informações, já que sempre confio desconfiando, li os comentarios de Marcio Leal e fui direto ao BNDES checar a veracidade da noticia, fiquei desconcertada pois encontrei no site institucional do BNDES noticias relativas ao assunto.
Caro Márcio, abisme-se também INTEGRAÇÃO DA INFRA-ESTRUTURA NA AMERICA DO SUL.
METRO EM CARACAS!! MINHA FILHA NÃO TEM METRO PARA IR À ESCOLA E ELE FINANCIA METRO EM CARACAS!! CARACAS MESMO!!!!!
O BANCO NACIONAL FINHANCIA O DESENVOLVIMENTO DE OUTRAS NAÇÕES EM DETRIMENTO DA NOSSA. NOSSA, TEMOS QUE TENTAR PENSAR QUE É NOSSA, EMBORA ELE ADMININTRE COMO SE FOSSE SÓ DELE, E DISTRIBUA PARA OS AMIGOS DELE.
É LAMETÁVEL!!
LAMENTAVEL!!!!
É MELHOR PARAR POR AQUI PARA NÃO PERDER A LINHA.