terça-feira, 31 de maio de 2005

Delegado PEDRO IVO continua a lutar!

O Delegado de Polícia Federal PEDRO IVO, cujo caso temos acompanhado neste espaço, continua a lutar pela vida apoiado por familiares, amigos e colegas da Polícia Federal.
Ainda não se sabe a causa de seu martírio, provavelmente um agressivo vírus do tipo hemorrágico, talvez um HANTA VIRUS, organismo aparentado dos temíveis EBOLA e MARBURG.
Hoje por volta do meio dia, PEDRO IVO foi submetido a um transplante de fígado no Hospital Albert Einstein em São Paulo.
O órgão original retirado estava praticamente destruído. As próximas 24 horas serão cruciais para sua sobrevivência.
Vamos torcer e rezar.
PEDRO IVO é um cara que merece viver!

3 comentários:

maraillo disse...

Parabéns. Tenho acompanhado teu caso desde o capítulo Duda Rinha Mendoncá. Resista e fé. A verdade virá, e aqueles que por ventura tentam esconder ou mascarar a verdade, verão cair o véu e expor suas caras. Com certeza 2006 será um grande ano de "troco" a eles que se acham donos das verdades que agora acreditam sê-las.

Anônimo disse...

Acho que vale a divulgação. A luta não pode parar.

FOLHA DE SAO PAULO terça-feira, 24 de maio de 2005
CLÓVIS ROSSI
Pesadelo, sonho, pesadelo
SÃO PAULO - O leitor mais jovem certamente não lembra, mas Sandra Fernandes de Oliveira foi aquela moça que teve a coragem de correr todos os riscos para pôr o último prego no caixão do governo Fernando Collor de Mello ao denunciar a chamada Operação Uruguai. Ajudou, portanto, a livrar o país daquele que foi o mais nefasto de seus governos democráticos.
Sandra deveria, portanto, estar orgulhosa, certo? Errado, diz ela em carta que enviou a parlamentares de TODOS os partidos e da qual me fez chegar uma cópia.
"Sinto uma enorme tristeza ao ver que o Brasil não mudou depois do impeachment de Collor", começa dizendo. Depois grita: "É absurdo o presidente Lula dizer quer daria um cheque em branco ao deputado Roberto Jefferson e dormiria tranqüilo... É absurdo ver a cúpula do PT -Dirceu, Genoino e Mercadante, entre outros- manobrar para abafar a CPI dos Correios".
Os três citados foram importantes na apuração do esquema Collor, de que Roberto Jefferson foi um dos chefes da tropa de choque.
Depois do grito, a desolação: "Se eu pudesse [voltar atrás], jamais teria denunciado Collor na farsa da Operação Uruguai. Eu tinha a esperança de que poderia viver, com a destituição de Collor, num Brasil melhor, com mais dignidade, honestidade e justiça social. Sonhei, pelos líderes do PT que falavam em nome da ética na política, que o Brasil teria jeito, poderia melhorar! Que desilusão e que decepção! Um choque, um trauma...".
Continuo achando que Sandra foi além do dever e que o afastamento de Collor foi profilático. Não acho que Sandra ou qualquer outro que tenha ajudado a afastá-lo deva se arrepender. Pelo contrário.
Mas entendo perfeitamente a frustração com o que veio depois. O Brasil continua sendo um pesadelo tanto mais aterrorizante quanto mais doces foram os sonhos.

@ - crossi@uol.com.br

Anônimo disse...

Certamente a ex-secretária ficou desiludida e com muita razão. Afinal, ela deu a cara para bater, enfrentou collor e sua tropa de choque, não teve nenhum apoio dos políticos do PT depois da denuncia na CPI. E agora, sabemos qu José Dirceu nem quer ouvir falar na secretária... será medo dela? Que se sabe, o Waldomiro Diniz, assessor do Zé, quis envolv~e-la em maracutaias, tentando persuadi-la a abrir uma Ong nacional para receber denúncias de corrupção. Imaginem se ela aceitasse, essa turma do PT iria pintar e bordfar (e chantagear) muita gente por aí em troca de venda de dossiês. Tem razão, Sandra, de ficar desapontada. Mas nada desmerece a sua luta.