segunda-feira, 11 de dezembro de 2006

As "milícias" e os narcotraficantes do Rio de Janeiro!!!

O noticiário do Rio de Janeiro, ultimamente, não fala de outra coisa, senão das “milícias” que estão expulsando traficantes de favelas cariocas e ocupando seu lugar.
O assunto não é novo, já foi tema de uma tese de doutorado de acadêmicos da PUC (Pontifícia Universidade Católica), do Rio de Janeiro, que estudou o fenômeno ocorrido na favela Rio das Pedras no bairro de Jacarepaguá, onde há vários anos não há traficantes de drogas.
A comunidade goza da segurança proporcionada por uma “milícia” formada por policiais e bombeiros militares, além de ex-policiais e alguns agregados.
A questão é que o fenômeno das “milícias” agora vem se expandindo, e já são dezenas de comunidades carentes do Rio de Janeiro onde os traficantes de drogas foram expulsos e as “milícias” agora dominam os locais.
As “milícias” atuam em um modelo clássico das máfias tradicionais: “vendem proteção”!
Cobram uma taxa de segurança de cerca de 15 reais de cada domicílio das comunidades carentes, cobram ágio na venda de botijões de gás e controlam, também com participação nos lucros, o transporte ilegal de vans e a distribuição “pirata” de sinais de TV paga, o chamado GATONET.
As "milícias" também cobram uma comi$$ão sobre a venda de imóveis nas comunidade por elas dominadas.
Estima-se que os ganhos auferidos pelas "milícias" alcancem a cifra de milhões de reais!
Ninguém até agora realizou uma pesquisa com valor científico sobre o que os moradores das comunidades carentes acham da atuação das “milícias”, mas sondagens informais mostram que os moradores preferem as “milícias” aos traficantes de drogas.
É compreensível!
Em primeiro lugar as comunidades ficam livres dos tiroteios entre gangues rivais de traficantes disputando pontos de venda de drogas.
Também não acontecem mais as violentas escaramuças entre narcotraficantes e policiais.
Afinal de contas, as “milícias” nada mais são do que os policiais e similares de “folga”.
É tudo uma ação entre “amigos”!
Desaparece também a má influência dos traficantes de drogas sobre crianças e adolescentes das comunidades carentes, o que os levava ao uso de drogas, ou ao ingresso na então “sedutora” carreira do crime.
Há moradores das tais comunidades controladas pelas “milícias” que afirmam que agora podem dormir com as janelas abertas.
Mas não há a menor dúvida, porém, que a ação das “milícias”, a despeito de todas as suas vantagens sobre a dominação do narcotráfico, é uma afronta à legalidade!
Algumas perguntas incômodas aparecem:
O que acontecerá quando duas “milícias” disputarem o controle sobre a mesma área?
Ocorrerá um tiroteio entre grupos “para-policiais”?
Outra questão que parece estar passando despercebida à grande mídia:
Por que as “milícias” (integradas por policias e assemelhados) conseguem expulsar os narcotraficantes das favelas e ocupar o espaço vazio deixado por eles, e a polícia institucional não consegue fazer o mesmo?
Afinal de contas, a polícia, como instituição, conta, além do poder concreto nada desprezível das armas, com o poder institucional da legalidade, vantagem muito superior à das “milícias”!
O VOX LIBRE tem uma teoria a respeito:
Não é que a polícia, como instituição, não consiga expulsar os narcotraficantes das favelas e impedir seu retorno, é que talvez isso não seja intere$$ante!
Por que fazer uma coisa para não ganhar nada, se em outro momento é possível fazer a mesma coisa quando se obterá um ganho monetário?
Os policiais de “serviço” que não conseguem expulsar definitivamente os narcotraficantes das favelas são os mesmos que conseguem, quando de “folga”, atuando nas “milícias”, botar os criminosos para correr de vez.
Ou seja, na ilegalidade a polícia funciona!
O problema é que os moradores pagam para ter a segurança das “milícias”, quando na verdade estão pagando duas vezes, pois os impostos extorsivos que todos pagamos, já deviam ser suficientes para que tivéssemos “segurança”!
As vantagens e desvantagens da atuação das “milícias” já foram explicadas acima, resta saber o que o governo do Rio de Janeiro vai fazer a respeito.
Se vai instaurar a legalidade em toda a cidade, ou se vai permitir a atuação da polícia “informal” constituída pelas milícias!
O ideal é que todos os cidadãos do estado do Rio de Janeiro tenham segurança sem ter que pagar nada além dos elevados e muitos impostos que já pagam!
E que tenham segurança sem ter que recorrer a "milícias", e que os policiais sejam remunerados de forma justa, sem que precisem fazer fora do "serviço", aquilo que deveriam fazer dentro dele!!!

8 comentários:

augusto disse...

Esse sucesso das milícias mostra de novo que não é que o brasileiro, em geral, seja incompetente para fazer a coisa certa, na verdade, tem competência para fazer as coisas erradas. País infeliz mesmo, onde paga-se impostos à exaustão e a segurança, a educação, a saúde, a previdência tem que ser tudo pago a empresas particulares, claro, os que ainda não sucumbiram devido ao valor dos baixos salários. Ainda por cima paga-se valores altíssimos de IPVA e não pode-se andar em velocidade razoável em vias com alto índice de criminalidade. Ficando desarmado e à mercê de bandidos.Assim, escolhe-se entre a multa ou assalto.

Ricardo Rayol disse...

Como bem disse pagam duas vezes. Assim como pagam duas vezes pela saude e pla educação. Privatizaram a segurnaça publica. Mais uma oportuna oportunidade de negócio visionário dos cariocas. Daqui a pouco estão exportando a idéia para o resto do país.

Alice disse...

Já reparou numa coisa , parece que as pessoas não se espantam com mais nada ...se acostumam ,não sei ...é como se os que podem resolver as coisas nesse pais ,nem dão ouvidos ...
E agente se acostuma a não ter segurança , a não ter saúde, a não ter ética ,se acostuma com mensalão ,sanguessuga,corrupção ,com desvio de verba ,com aumento de político , com falta de vergonha na cara ...a gente acostuma ...
Porque as pessoas acostumam ? eu não quero me acostumar !!!

Lucas disse...

ATENÇÃO

ABAIXO ASSINADO - não entre nessa!!!


rola um abaixo-assinado contra o aumento dos parlamentares.

ANTES DE ASSINAR observe os links que constam do blog: Franklin Martins, Mino Carta, PHAmorim, enfim, toda a fina-flor da petralhice.

quanto pior para o congresso, melhor para lula et caterva !!!

Marcelo Carneiro disse...

Prezado Chefe, nota-se que as tais milicias só tem conseguido se instalar em comunidades onde o tráfico é fraco e pouco lucrativo. Vamos ver se conseguirão tomar a Rocinha ou o Complexo do Alemão;assim sendo, o mais provável é que haja um grande acerto $$ para que tais comunidades não sejam incomodadas. Por outro lado, se o bacana pode pagar U$ 200 por dia por um segurança privado e ninguem reclama, porque o pobre não pode pagar 15,00 para ter a sua ?

Anônimo disse...

O que o governo vai fazer? Simples! Agenda uma reunião com os líderes dessas milícias, transforma tudo em ONG e destina a elas milhões e milhões do nosso dinheiro. Depois, mais alguns milhões em publicidade...

Anônimo disse...

Se continuar desse jeito então melhor seria privatizar a polícia, pois assim os policias teriam um salário digno e trabalhariam com a mesma vontade que trabalham nas " milicias" e sem que seja conforme a "ligislação" das milícias.

Anônimo disse...

em primeiro lugar, quem escreveu este documentário ñ está bem informado, quanto aos impostos cobrados nas comunidades, ou mesmo próximo, pois o governo ñ cobra os impostos ,devido já ter reconhecido q ñ tem copetencia para solucionar os problemas de segurança ali existentes , pois o próprio governo isenta os impostos alegando ser área de risco, com isso dá aos moradores a impressão de ter abandonado as pessoas q tiveram a infelicidade de ali viverem.a única medida do governo estadual é pagar um salário de dois mil reais a um integrante de cada cumunidade do estado do rio , para intermediar negociações de criminosos para q algum candidato em época de campanha,para o mesmo visitar as favelas sem qualquer problema, onde o mesmo tem uma forte ligação com o tráfico.
os moradores se sentem ameaçados , pois a qualquer momento pode bater em sua porta um bando de traficantes colocando ele e sua familia para fora de sua casa, q apesar de humilde foi conseguida com muitos esforços, e acontece muito,os imoveis próximo a fevelas tiveram uma queda no valor imobiliário enorme,e poucos conseguem vender.
quantas mulheres foram estupradas, quantos menores só tiveram a bandidagem como exemplo de sucessos ?existem um pequeno grupo de policiais no rio q são especialistas em sequestrar chefes e gerentes do tráfico , mantendo os mesmo em cativeiro e exigir resgates, recebem e liberam os bandidos.
dinheiro este q muitas vezes é tirado do tráfico e eles são obrigados a descer para o asfalto(giria usada quando eles saem da favela)para efetuarem roubos para repor o dinheiro usado no regate, fato este fácil de ser confirmado com qualquer gerente do tráfico preso .
tudo isso nos dá a senssação de abandonados a sorte, e se o fato do surgimento de milícias for uma medida desesperadora daqueles q um dia acreditaram no sistema e hoje estão abandonados por o mesmo sistema, só o futuro poderar dizer, o importante e saber algo um dia estará sendo feito , e q deus nos abençoe.