quinta-feira, 20 de outubro de 2005

Procurando EMPREGO!


JOSÉ DIRCEU tem experiência militar, foi guerrilheiro durante a ditadura militar e apesar de ter curso de guerrilha em CUBA, não se deu muito bem na “carreira” porque afinal de contas foi preso.
Só reconquistou a liberdade porque foi trocado, juntamente com outros presos políticos, pelo embaixador dos EUA, Charles Elbrick , seqüestrado por uma equipe de "guerrilheiros" integrada, entre outros, por FERNANDO GABEIRA.
Até hoje há quem aponte GABEIRA como culpado pela atual crise do governo LULA:
Quem mandou soltar JOSÉ DIRCEU?
Mas como o SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL rejeitou o pedido de liminar que salvaria JOSÉ DIRCEU do processo de cassação de seu mandato de Deputado Federal, e em vias pois de ficar DESEMPREGADO (como milhões de outros brasileiros), ZÉ DIRCEU pensa em “arrumar” uma colocação nas Forças Armadas (quem sabe, pelo menos como sargento) e por isso, já está treinando como bater CONTINÊNCIAS!

9 comentários:

LCMarques disse...

Pode também ser uma das formas de despedida usada em algumas regiões.
Seu cinismo, cara de pau e arrogancia são memoráveis. Sua "luta" me cheira a alguma tramóia. Me parece que foi escolhido, ou se escolheu, como símbolo da inocencia, do perseguido...
Uma hora a verdade vai aflorar sem chances de 'valentia'. O caroço vai aparecer como realmente é.
Vamos aguardar.

Elaine disse...

Eu só acredito no dia que ele for cassado. Aí sim, vou pular de alegria!
Sds...Elaine

Alice disse...

Se ele for cassado de verdade ,ele tbm vai ter direito a "aposentadoria como deputado" ?
Bom dia .

Anônimo disse...

Eu acho que ele vai voltar para os
raços do grande democrata Fidel.


Bertin

Jotaesse disse...

Com certeza vai receber aqueles 9 contos por mês às nossas custas.

Ricardo Rayol disse...

ahahaha, muito boa. Mas acho que ele vai passar o pires em outras plagas, quem sabe Cuba

Anônimo disse...

No dia da cassação do Ze´guerrilha, o Brasil terá um
ORGASMO MÚLTIPLO.

Helena disse...

Voce daria emprego a um indivíduo como este?

VIVA O PT56 disse...

Enquanto a burguesia não for derrubada - e, depois de sua queda, enquanto não desaparecerem totalmente a pequena economia e a pequena produção mercantil - o ambiente burguês, os hábitos de propriedade privada e as tradições pequeno-burguesas prejudicarão o trabalho do proletariado tanto dentro como fora do movimento operário, não só na atividade parlamentar, como, inevitavelmente, em todas e em cada uma das esferas da atividade social, em todos os setores culturais e políticos, sem exceção. E constitui um erro profundíssimo, pelo qual inapelavelmente se deverá pagar mais tarde, procurar livrar-se ou esquivar-se de uma das tarefas desagradáveis ou das dificuldades surgidas numa das esferas de trabalho. É preciso aprender, e aprender plenamente, a dominar todos os aspectos da atividade e do trabalho, sem nenhuma exceção, a vencer em toda parte todas as dificuldades e todos os costumes, tradições e hábitos burgueses. Qualquer outra maneira de encarar a questão é totalmente despida de seriedade, é infantil.

claro que sob o domínio da burguesia é muito "difícil" vencer os costumes burgueses no próprio partido, isto é, no partido operário: é "difícil" expulsar do partido os chefes parlamentaristas acostumados com os preconceitos burgueses e por eles irremediavelmente corrompidos; é "difícil" submeter à disciplina proletária o número absolutamente necessário (mesmo que numa quantidade bem limitada) de pessoas que procedem da burguesia; é "difícil" criar no parlamento burguês uma fração comunista plenamente digna da classe operária; é "difícil" conseguir que os parlamentares comunistas não se deixem levar pelas frivolidades parlamentaristas dos burgueses, e que se entreguem ao mais que essencial trabalho de propaganda, agitação e organização das massas. Não há dúvida de que tudo isso é "difícil; foi difícil na Rússia e é incomparavelmente mais difícil na Europa Ocidental e na América, onde a burguesia, as tradições democrático-burguesas, etc., são muito mais fortes.