sexta-feira, 22 de junho de 2007

Entrevista do presidente LULA ao programa HARD TALK da BBC!

O VOX LIBRE achou no YOUTUBE uma verdadeira pérola!
Uma entrevista do presidente da república ao programa HARD TALK da BBC britânica!
Traduzindo livremente, HARD TALK significa CONVERSA DURA!
O jornalista STEPHEN SACKUR é realmente duro e implacável e o presidente ri muito, incomodado e nervoso.
Se a entrevista tivesse ocorrido aqui, provavelmente haveria quem cogitasse expulsar o jornalista inglês do Brasil!
Vale a pena assistir, a entrevista está dividida em três partes, é só clicar abaixo, dependendo da velocidade de sua conexão, pode demorar um pouco para "carregar", mas vale a pena, é IMPERDÍVEL:






8 comentários:

augusto disse...

Ele é um cara muito modesto e como presidente é ótimo advogado da Bolívia.Achei engraçado quando ele falou que deveria ser esquecido o passado, para logo após dizer que não pode fazer melhor porque ele não presidiu o país por 500 anos.Daqui a pouco ele vai botar a culpa nos índios Tupinambás, Tupiniquins, Tamoios, Goitacazes, Carijós etc... todos extintos, assim ele não entra em atrito com nenhuma etnia que ainda resiste, por cagaço dos demais silvícolas, e também pode elevar o tempo de mediocridade do Brasil de 507 anos para 10.000 mil anos. Podem esperar vai começar a botar a culpa no cacique Cunhambebe, no Tibiriçá, Araribóia, Aimberê... Claro, o Brasil só entrou nos eixos há quatro anos com ele.Fantástico não é?

Anônimo disse...

O molusco bem que tenta sair pela tangente mas nao consegue.

"Eu cuido de eu e você cuida de você, mas tô contigo, companheiro Mixaz!" - disse...

Para todos os telespectadores da FICTÍCIA república de BANÂNIA, essa entrevista da BBC atende aos pontos de vista e anseios de “NÃO-PETINISTAS” e “PETINISTAS”. Os “NÃO-PETINISTAS” se colocam no lugar do entrevistador. Os “PETINISTAS” conseguem, ao assistir essa entrevista, sentir a “alma, a tenacidade e espírito de luta em prol dos desfavorecidos” do entrevistado. Podemos resumir as opiniões, assim:

- “NÃO-PETINISTAS”: “OK! Realmente, o NOSSO GUIA I ficou incomodado e nervoso, por não estar acostumado a confrontos com a imprensa livre”.

- “PETINISTAS”: “Jogando duro, esse jornalista ao tentar colocar o NOSSO GUIA I à prova e correndo o risco de vestir uma ‘saia justa’, diante de milhões de telespectadores do mundo inteiro - na realidade, acabou fazendo um favor pro NOSSO GUIA I, que encarou e tirou de letra essa entrevista. O tiro saiu pela culatra da arma do jornalista, porque o NOSSO GUIA I não desperdiçou a oportunidade e demonstrou a sua tenacidade em defesa da soberania e direitos dos países pobres, mostrou porque foi eleito e reeleito pelo povo brasileiro...”.

Na condição de crítico “neutro”, em verdade, um historiador “parcialmente imparcial”, não duvido que alguém da “TV Pública” - em expansão e a mais ‘poderosa e democrática’ da mídia brasileira, consiga uma autorização da BBC (impregnada de “esquerdistas”) e, mediante recursos de “videoshop”*, apresente essa entrevista em programas “educativos” para o povo (“que até o governo anterior sempre foi mantido à margem da educação política à distância”).

Notas explicativas:

“videoshop”* - 1: Maquiagem do vídeo original, porque o pessoal da BBC foi descuidado durante a entrevista, dando excessivos “closes” no entrevistado nos momentos em que ele, na maior naturalidade, pegava nos fios do bigode, fazia um olhar bravo e quase tenso, uns sorrisinhos – que os mal intencionados da “oposição” interpretam como nervosismo.

”videoshop”* - 2: Antes de realizar a reunião que trataria do pré-planejamento para obtenção de recursos para viabilização do “programa”, fizeram um ‘exercício democrático de criatividade em grupo’ (brainstorming sistematizado e descrito na “Cartilha da Criatividade Oficial”), levando o grupo reunido a garantir a concretização daquilo que até aquele momento era algo abstrato, um churrasco de confraternização da equipe de produção, em homenagem ao Diretor que deu a idéia de reutilização da entrevista feita pela BBC:

Foto - “Photoshop - vídeo? - é “Videoshop”! - entrevista - vídeo - ‘grande’ presidente! - Videoshop - shop - vamos fazer uma videoshopada nessa entrevista, pessoal! - shopada? - chopada! - Chops! cerveja! cachaça! petiscos! picanha!... - Oba! Vamos fazer uma churrascada para comemorar o primor dessa ‘produção da entrevista’, que a empresa terceirizada do amigo do nosso (nome censurado) vai tornar real pra nós!...”.

Um fictício cronista da fictícia Banânia escreveu "isso" disse...

.
A VIÚVA DO EX-ADMINISTRADOR DA FAZENDA FSP

(Uma ficção produzida na república de BANÂNIA, imitando a realidade da discreta república de NUNCADANTES)


J. Monte, governador daquele estado, um líder político bem sucedido (até já havia tentado a presidência da BANÂNIA), acordou pontualmente às 6 horas da manhã e muito disposto a enfrentar mais um dia de muito trabalho. Consultou a sua agenda e rumou para a Fazenda FSP.

Ao chegar na Fazenda FSP, que decepção! J. Monte não queria acreditar no que estava vendo. O curral estava destruído, queimado. Era um curral de 10 mil metros quadrados, que havia custado muito dinheiro para ser construído. Fazia parte de um patrimônio antes muito produtivo – mas, enfrentando uma decadência cada vez mais à mostra. Era um curral considerado “Padrão” por muitos professores e pesquisadores da BANÂNIA e até do exterior.

Antes que J. Monte falasse qualquer coisa, veio correndo ao seu encontro a Dona Celina, viúva do recém falecido administrador da Fazenda FSP. Ofegante, ela foi logo dando a lamentável notícia:

- Dotô Monte, nem te conto. Desde que o meu falecido marido administrador se foi, uns elementos mal-encarados começaram a rondar a fazenda. Eu percebia que alguma coisa não ia bem, mas eu não tinha jeito de chegar até o senhor, e contar o que eu nem sabia direito o que poderia ser. Até que hoje, lá pela uma da madrugada, chegaram uns ‘eme esse tês’ armados com trabucos, foices, facões e picaretas, e me pediram uma vaca de “prenda”.

- Dona Celina, a senhora deu uma vaca pra eles?

- Não, dotô Monte.

- Dona Celina, é elogiável a sua atitude de zelar e defender esse patrimônio. Por mim, a função de administrar a Fazenda FSP é sua. De agora em diante, será a Magnífica Administradora Dona Celina. Por favor, continue...

- Ara, homem do céu. Desculpe... Excelentíssimo Doutor J. Monte, eu agradeço a confiança que o senhor está depositando em mim. Então... eles replicaram, “ou dá uma vaca, ou queimamos o curral!”.

- E a senhora não arredou pé, certo?

- Não, não arredei pé, Excelentíssimo Doutor J. Monte.

- Ótimo! Magnífica Administradora Dona Celina. E o que mais aconteceu?

- Nem te conto, desculpe... Excelentíssimo Doutor J. Monte. Cerca de 200 cabeças de gado saiu em disparada e entrou na minha casa! Estão lá, destruindo os meus móiveis e utensílios. E milhares de cabeças escaparam para outros pastos da região. Os ‘cabeças’ dos ‘eme esse tês’ pegaram e estão comendo umas vaquinhas e boizinhos mansos...

- Magnífica Administradora Dona Celina, a senhora não conseguiu impedir a entrada dessas rezes em sua casa e nem a debandada da boiada?

- Não, Excelentíssimo Doutor J. Monte. Quando ameacei de dizer alguma coisa, o nosso peão “Vermeião” e mais quatro peões aposentados e que teimam não ir embora da Fazenda FSP, vieram pra cima de mim e... só então eu percebi que eles estavam “assim” com os “eme esse tês”. Então, eu os acalmei, dizendo... “Compreendo vocês, depois o patrão chega e faz a negociação com vocês e também com os ‘eme esse tês’, concordam?”.

- Magnífica Administradora Dona Celina, foi uma atitude corajosa e que demonstrou a sua intuitiva capacidade de mediação de conflitos. Traga um cafezinho e uns pedaços daquele gostoso bolo de milho, que só a senhora sabe fazer. Logo as rezes desgarradas irão sair da sua casa, toda a boiada voltará para a Fazenda FSP... porque, afinal, as nossas aguadas e pastagens são as melhores da região e, por que não dizer... da nossa querida BANÂNIA?

- E quanto ao curral, o que fazer, Excelentíssimo Doutor J. Monte?

- Isso não é problema, Magnífica Administradora Dona Celina. Temos aquele eucalipal, que já está quase no ponto de corte. A gente corta um monte de troncos de eucaliptos, compramos 10 mil metros quadrados de lona preta e chamamos os ‘eme esse tês’.

- Excelentíssimo Doutor J. Monte, chamar os ‘eme esse tês’? Essa, eu não entendi...

- Magnífica Administradora Dona Celina! Embora ainda meio crua nessa sua nova função de administradora, percebo que a senhora aprende muito rápido. É gratificante ver o seu esforço em querer entender a realidade desses fatos em que fomos envolvidos. Fique tranqüila, eu vou explicar para a senhora... O único motivo para chamar os ‘eme esse tês’... é pra eles ajudar a levantar o curral, que eles mesmo destruíram!

- Estou quase entendendo, Excelentíssimo Doutor J. Monte. Mas, porque chamar esse bando que botou fogo no curral?

- É simples, Magnífica Administradora Dona Celina. Pelo exemplo, pelo trabalho participativo das duas partes envolvidas e... digamos, socialmente diferenciadas, eles aprenderão o quanto custa, o trabalhão que dá para a obtenção... construção de um patrimônio, aprenderão a dar valor para cada metro quadrado de lona preta que a gente compra e eles... ganham de alguma instituição do governo ou dessas ONGs...

- Excelentíssimo Doutor J. Monte, sabe de uma coisa? O senhor agora acabou de me surpreender, e muito!

- Magnífica Administradora Dona Celina, agora eu é que não entendi direito. O que eu fiz e que tanto surpreendeu a senhora?

- Excelentíssimo Doutor Monte, além da sua brilhante percepção política e social, o senhor entende muito de lona preta... também!

- Obrigado, Magnífica Administradora Dona Celina! Entre vários predicados, a senhora demonstrou ter um, que a capacitam ser membro do meu partido.

- Não diga! Fiquei até emocionada... que predicado é esse, Excelentíssimo Doutor J. Monte?

- Saber contemporizar. Só lhe falta agora aprender a negociar e, então, a senhora estará apta para contemporizar e negociar com os nossos aparentes adversários, Magnífica Administradora Dona Celina!

E assim, na FICTÍCIA republica de BANÂNIA, o Polvo e todos os seus militantes polvinhos, caranguejos, camarões, lambaris, pintados e piranhas - todos sorridentes, deixando a vida ‘os levar’ - não sabem pra onde, mas por enquanto, muito bem tratados e felizes!

AHT disse...

.
A LÓGICA DA VIDA

Quem segue a Lógica da Vida,
Não complica o que é simples
E humanamente honesto.

Quem segue a Lógica da Vida,
Zela e defende
A liberdade de expressão
E o direito de ir e vir.

Quem segue a Lógica da Vida,
Zela e defende
O direito de cada um
Ser o “eu”
Que melhor lhe veste
E o habilita oferecer
O melhor de si
Para a sociedade.

Quem segue a Lógica da Vida,
Não se exime da responsabilidade
De apontar, contestar
E impedir a consecução de
Ações contra a Lógica da Vida.

Quem segue a Lógica da Vida,
Não vê cor da pele,
Não vê credo,
Não vê o local de nascimento
E a classe social
Do seu próximo.

Quem segue a Lógica da Vida,
‘Sente’ e respeita
O seu próximo
Exatamente como ele é:
Um Ser Humano
Com direitos e deveres
Iguais aos seus!

AHT

Anônimo disse...

mais liso impopssível; provoca ciúmes em bagre ensaboado alimentado só com quiabo...

sobre a corrupção em seu partido, hein ???

neca de pitibiribas...

doente...

Com esse ou aquele no governo, pais têm que ser pais! - disse...

BRASIL, RJ: Marginais 'chiques' e covardes espancam e roubam Uma Mulher Que Trabalha E Ganha A Vida Honestamente


O pai do "marginal chique", ao ser entrevistado depois de se desculpar com a vítima: “É injusto manter crianças que estudam na cadeia”. (As “crianças”: maiores de idade voltando de uma boate)

O humilde pai da vítima: "Há pais, hoje em dia, que não querem saber onde estão seus filhos e o que eles fazem". É fácil entender porque ele soube criar uma filha decente, que trabalha e ganha a vista honestamente.

Cadê os "psicólogos e psicólogas" que tanto pregam essa "moderna educação dos filhos"?

Presidente Lula, aproveita a TV, jornais, revistas e o "Café com o Presidente", e faz um discurso "bem no popular", ensinando os pais omissos a educarem seus filhos desde pequeninos. Faça pelo menos esse favorzinho para a nação brasileira, faz! E se for possível, manda o seu pessoal fazer e distribuir cartilhas sobre como educar os filhos e evitar que se transformem em bandidos (peçam ajuda a muitos avós e acima de 70 anos, antes que muitas besteiras sejam escritas e o resultado seja uma outra catástrofe, OK?)- ou, isso é pedir demais para Vossa Excelência?

Alice disse...

Nossa , a culpa é do Cabral ...misericórdia .
Bom dia :)