sábado, 7 de abril de 2007

O país dos chimpanzés!

Há uma teoria circulando pela internet (e infelizmente desconheço seu autor), segundo a qual, em duas, no máximo em três gerações, os chimpanzés assumirão o poder no Brasil pelo voto!
Claro que se trata de uma piada!
Pelo menos era o que eu achava até agora.
Uma pesquisa recente amplamente divulgada pela imprensa nos diz que metade dos adolescentes do país, na faixa compreendida entre os 15 e os 17 anos, não estuda simplesmente porque NÃO QUER!
Ao contrário do que se acreditava até então, não são problemas de dificuldade de acesso ou falta de vagas no ensino médio, apenas a "clientela" acredita que não vale a pena o esforço de ESTUDAR!
Eles simplesmente acham que podem alcançar o sucesso sem estudo.
É claro que tais adolescentes estão equivocados e apenas vão engrossar a massa de mão de obra desqualificada que vai ter que se contentar com salários aviltados para sobreviver, no caso de conseguirem um emprego!
O fato lamentável é que a conjuntura nacional hoje estimula a crença de que o estudo é um esforço desnecessário.
Teoricamente, e falando em tese, é possível alcançar posições de destaque neste país sendo pouco mais que um analfabeto funcional, aquele que tecnicamente é capaz de ler e escrever, mas não consegue entender o que lê nem tem condição de elaborar uma frase inteligível.
Não é nem mesmo preciso ser honesto para fazer sucesso, pois parece ser possível, também teorica e hipoteticamente, ser corrupto e ainda assim ser aplaudido e consagrado pelas "massas"!
Zoológicos humanos como o tal programa de sucesso BIG BROTHER BRASIL demonstram que alguém pode se transformar em uma celebridade sem nenhum mérito, ou pior, a despeito de tratar-se de um perfeito e acabado idiota!
Antigamente, celebridades eram as pessoas que conquistavam renome em virtude de méritos pessoais, mas isso é coisa do passado!
Há exemplos de jogadores de futebol analfabetos que se tornaram milionários e famosos internacionais!
É absolutamente irrelevante o fato de que jogadores de futebol que ganham milhões são uma exceção em meio a mihares de infelizes atletas que mal ganham para comer!
Há também as atrizes e modelos semi analfabetas (celebridades festejadas), que também são uma exceção, mas que "inspiram" com seus "exemplos", milhões de meninas Brasil afora!
O problema é que se trata de uma festa com poucas cadeiras, e muitos aspirantes a celebridades "vazias" vão acabar frustrados em seus sonhos de sucesso, enveredando pelos caminhos fáceis do crime e da prostituição!
Antigamente, as meninas costumavam dizer que quando crescessem, queriam ser professoras, médicas ou bailarinas (de balé clássico).
Hoje elas dizem que querem ser atrizes ou modelos!
E não há palcos nem passarelas suficientes para tantas "estrelas"!
Com uma juventude que não estuda porque não quer e porque acha que é uma perda de tempo, que será do futuro deste país?
Seremos mesmo o país dos chimpanzés?

5 comentários:

Anônimo disse...

Que será do futuro deste país?

OLHA A BOLA PINGANDO NA ÁREA, AÍ GENTE!!!


Milhões de jovens, isso é certeza

Cortando um dedo mindinho

Bebendo cachaça

Fumando cigarro made Paraguay pra ficar com a voz rouca

Comprando microfones made China

Subindo em caixotes de madeira
e... treinando para ser um grande discurseiro e só no improviso!!!...

Anônimo disse...

O PAÍS DOS CHIMPANZÉS ADESTRADOS E COMANDADOS PELOS GORILAS DE COLABRINHO BRANCO

Que tristeza, que vergonha. Está ficando cada vez mais difícil olhar para os meus filhos e netos, olho no olho, transmitindo auto-estima e orgulho pela Pátria em que nascemos.

Maluf e Lula do PT, antes eram "inimigos mortais" e agora, apesar de “um pouco envergonhados”, são aliados. PT do Lula aceitando Maluf como aliado, a troco de quê?

Os nossos tribunais engavetando e deixando as traças devorarem os processos, permitindo a impunidade a troco de favores políticos, de dinheiro, muito dinheiro. Precisávamos que um "mocinho" promotor de justiça em Nova York destrinchasse o desvio de dinheiro das “Águas Espraiadas”. Promotor americano tem até provas do desvio de dinheiro! Que humilhação aos nossos “acima de qualquer suspeita” promotores, procuradores, juízes, desembargadores e para os ministros dos tribunais lá de Brasília. Parte desses, admitidos por concursos; outros, escolhidos a dedo pelos poderosos grupos políticos e aprovados pelo presidente e governadores que estiveram com a “bola” da vez.

É a Justiça em perfeito entrosamento com o Executivo e afinadíssima com o Legislativo e suas leis com mil e uma generosas brechas, para a felicidade dos grandes criminosos e temporária alegria para os bandidos “médios” e “pés de chinelo”.

Maluf é um criminoso tão nefasto quanto Fernandinho Beira-Mar, Marcola, Delúbio, Marcos Valério, Silvinho Land Rover, Waldomiro Diniz e os cruéis bandidos que estouraram o menino João Hélio. Que diferença faz usar um revolver ou uma caneta para assinar documentos e roubar o dinheiro público, sabendo-se que esse crime provocará milhares de mortes por acidentes nas estradas mal-conservadas, milhares de mortes pela insuficiência de recursos na saúde pública?

No passado, o demagogo Maluf disse “Bandido bom é bandido morto”. Maluf, como é que você consegue se manter vivo? Quanto você paga diariamente de pedágio para se manter vivo e fora da cadeia?

Políticos que fazem “interessantes” parcerias e acordos com Maluf, saibam e não neguem: “Parceiro de bandido, bandido é”.

Anônimo disse...

Há 3 anos atrás, tive a experência de dar aulas, gratuitamente, numa ONG onde a maioria dos "estudantes" era dos 15 aos 18 anos. E infelizmente constatei que NÃO queriam estudar. Havia dias em que eu chegava lá e todos tinham ido embora.
Vale dizer que ao fmi do ano encerrei voluntariado !

Newton Santos disse...

É meu amigo, a coisa tá negra !

Gostaria de saber onde fizeram a pesquisa de avaliação do inácio. Será que foi no sertão de Quixadá ??

LCMarques disse...

E aí aparecerão os profetas do apocalipse dizendo que foi falta de oportunidade, que não tiveram acesso e que isso é um problema de todos...

E querem nos impor a teoria da culpa.

Faz sentido, com o líder que foi eleito.