quarta-feira, 23 de agosto de 2006

"Segredos" do PCC!

Documento até agora não revelado ao público é o pano de fundo, embasa a escalada verbal e a troca de acusações entre setores do governo paulista, do PSDB, e do governo federal desde 12 de julho.
Classificado como "confidencial", no setor de Inteligência em São Paulo - onde Terra Magazine obteve uma cópia - e "ultra confidencial" na área de Inteligência em Brasília, o documento contém porções da conversa grampeada entre dois "homens não identificados", e por isso mesmo chamados de "HNI 1" e "HNI 2".
A conversa foi grampeada pela polícia de São Paulo às vésperas de (coincidência ou não), o assunto vir indiretamente a público.
Dia 12 de julho a conversa estava transcrita e a secretaria de segurança de São Paulo já tinha ciência do teor.
Sem que jamais o documento fosse citado naquele dia, ou nas trocas de acusações desde então, no mesmo 12 de julho o senador Jorge Bornhausen (PFL-SC) insinuou, pela primeira vez, supostas ligações entre o PT e o PCC.
No dia seguinte, 13 de julho, o candidato ao governo de São Paulo pelo PSDB, José Serra, avançou.
Questionado sobre as declarações de Bornhausen afirmou existirem "indícios" de ligação entre o PT e o PCC.
O candidato à presidência, Geraldo Alckmin, perguntado, contou ter identificado "coisas estranhas" nas ações do PCC.
Foi, então, bem mais evasivo do que na entrevista dada ao Jornal Nacional.
A William Bonner e Fátima Bernardes disse perceber sinais de "guerrilha" na ações do PCC.
Isso depois de ter afirmado e reafirmado nos últimos dias estranhar a "coincidência" entre as ações e o período eleitoral.
Na única manifestação, indireta, sobre temas do gênero o governador de São Paulo, Cláudio Lembo, afirmou ser contrário ao uso de informações "levianas" com objetivo político.
Terra Magazine transcreveu ipsis literis, inclusive com erros gramaticais, o que está escrito no documento "confidencial" que autoridades do governo de São Paulo e do governo federal conhecem há mais de um mês:
HNI2- Irmão, vo coloca um crédito nesse novo número aqui.
Então eu vou mandar uma mensagem para vocês ai, ta?
HNI1- O irmão, irmão tem alguma cobrada aqui?
HNI2- Não, não tem não.
HNI1- Se quê, irmão?
HNI2- Fala aí.
HNI1- É, 11,3735-(...)49,
HNI2- Irmão, o irmão tá ciente já do salve (NR: "ordem", no jargão do crime) que chegou, irmão?
HNI1- Não, não.
HNI2- Não?
HNI1- Não.
HNI2- Mas dá pra o irmão pegar agora aí, irmão?
HNI1- Passa ele inteiro para mim aí, cara.
HNI1- Passa ele, passa ele, ai na hora que eu pá...tô no carro aqui agora(...) para pelo menos eu ter ciência do que é, e é o seguinte...
HNI2- tá bom, irmão, vou lê aqui pro irmão aqui, tá bom?
Mandar matar todos os políticos da câmera municipal do (...) e PSDB, incendiá concessionárias de carros, caixas eletrônicas, cinemas e supermercados grandes.
Matar todos os funcionários em geral do Estado de São Paulo.
Colocar faixa opressão carcerária.
HNI1- Certo.
HNI2- Entendeu, irmão?
HNI1- Em cinco minutos eu tô na região(...) E o ...jão?
HNI2- Ó irmão, ele foi dormir agora, irmão.
Desde ontem ele ficou acordado, ele foi dormir agora, irmão.
HNI1- (...)geral.
HNI2- Isso...pro interior geral, entendeu irmão?
Ele já fechou aqui ó, Campinas já passou ontem com RB (?) na linha. Entendeu irmão...
HNI2- Agora falta aquela região lá do outro lá, aquela regiãozinha ali, entendeu irmão.
HNI1- Certo, certo, certo...
HNI2- Mais próximo ali do zero zero(...) entendeu irmão?
HNI1- Certo?
HNI2- As outras, o irmão já espalhou tudo, ó.
HNI1- E nos outros do interior (...) já veio?
HNI2- Já, já, já ta vindo alguns retorno já, entendeu?
HNI1- Tá bom.
HNI2- Um beijão irmão...
Depois disso tudo, o VOX LIBRE espera que vocês tirem suas próprias conclusões!

Um comentário:

Augusto disse...

É lógico que essa ralé PTPCC está mais que unida. O Bornhausen deve até hoje estar se arrependendo quando disse que melhor que impeachment era deixar ele sangrando... Naquela época qualquer vento derrubava o apedeuta. Olha a merda que o senador fez!