quarta-feira, 21 de junho de 2006

Tentativa de extorsão!


Em depoimento prestado à Comissão de Constituição e Justiça do Senado, em 07 de junho, o dono do banco Opportunity, Daniel Dantas, confirmou que o então tesoureiro do PT, Delúbio Soares, pediu "uma contribuição" de US$ 50 milhões de dólares, prometendo em troca "ajudar" o banco nas "dificuldades" encontradas no seu relacionamento com o governo.
O pedido de Delúbio foi feito a Carlos Rodengurgo, sócio de Dantas, em uma suíte do hotel Blue Tree em Brasília, aliás, o mesmo hotel utilizado como local da tentativa de achaque de Waldomiro Diniz, funcionário do Palácio do Planalto, à multinacional GTech.
Para ser mais exato, Waldomiro Diniz despachava na casa civil, na condição de "braço direito" do então super ministro José Dirceu.
Até agora, salvo engano, duas semanas depois do depoimento, não se tem notícia de que o "republicano" ministério da justiça tenha mandado apurar a tentativa de extorsão.
Antigamente isso era crime!

Um comentário:

LCMarques disse...

Definitivamente, perdemos a vergonha na cara!

Faço a minha parte tentando esclarecer quem cruza na minha frente, fortalecendo o posicionamento do voto como forma de escolhermos quem vai fazer as leis e quem vai executar os procedimentos necessários para que a região, país melhore. E também para quem vai julgar, esses escolhidos por quem governa.

Acredito piamente que existam muitos funcionários públicos com valores suficientes a propor aos colegas que façam greves não somente pelo aumento dos salários, mas também para que a lei, normas e demais ordenamentos sejam cumpridos, que a função do funcionário público seja atender aos cidadãos e fazer com que a máquina governamental funcione.
Tenho a certeza de que existem funcionários preocupados e agindo para que isso aconteça.
Aí acho que, independente de ordens dos chefes, eles cumpram escudados na estabilidade que têm, o respeito aos cidadãos que pagam compulsoriamente seus impostos e esperam um mínimo de retorno.
Tenho a certeza de que não será um governo, que é transitório, fale mais alto que a responsabilidade dos brasileiros, principalmente os funcionários públicos, em fazer um Brasil melhor e mais justo.
Todos temos filhos, netos...