terça-feira, 23 de maio de 2006

Os presos e seus telefones celulares!

Um "parlatório" em um presídio dos EUA.
Há cerca de três anos atrás, o editor deste VOX LIBRE participou de um seminário internacional sobre crime organizado na cidade de Guarulhos em São Paulo.
O evento contou com a participação de policiais britânicos, australianos, norte americanos, entre oriundos de outros países.
Um dos assuntos então discutidos foi nosso problema com os telefones celulares usados por internos do sistema prisonal, principalmente os líderes de organizações criminosas.
Nossos colegas estrangeiros não entendiam porque tínhamos que desenvolver tecnologia de bloqueadores de sinais de celulares nos presídios, já que, sob a ótica deles, era mais fácil simplesmente proibir a entrada de telefones celulares nas cadeias.
Levamos algum tempo para explicar que a proibição já existia mas os celulares continuavam entrando mesmo assim, ou porque havia falhas na segurança dos presídios ou porque havia um sério problema de corrupção endêmica e institucionalizada.
Não foi fácil para policiais do primeiro mundo compreender nossas dificuldades em fazer cumprir leis e regulamentos, porque se há corrupção também em seus países de origem, ela é lá, uma exceção e não regra!
Depois de explicar que os principais suspeitos de fazer chegar às mãos dos presos (não somente telefones celulares), mas também armas e drogas, eram os visitantes dos internos (seus parentes. amigos e em alguns casos seus advogados), nossos colegas estrangeiros acabaram se surpreendendo novamente ao tomar conhecimento de que aqui no Brasil, há contato físico entre os presos e as pessoas que os visitam.
Na maioria dos outros países do mundo esse contato não existe!
Os presos se encontram com suas visitas em locais conhecidos como parlatórios, onde preso e visitante são separados por uma parede de vidro ou de tela metálica de trama bem fechada, tornando impossível que qualquer objeto possa ser passado do visitante para o preso ou vice versa!
Em algumas ocasiões especiais é permitido que o preso se encontre com seu visitante em uma sala sem divisória, mas o encontro é vigiado por um guarda penitenciário e ainda assim não é permitido sequer um aperto de mãos e uma distância mínima deve ser observada entre o interno e seu interlocutor.
Por que tal sistema de parlatório sem contato físico não é adotado em todas as unidades prisonais brasileiras?
Será que não interessa que o rol de suspeitos seja drasticamente diminuído?
Com tal sistema ficaria definitivamente afastada a hipótese de que advogados, amigos e parentes possam estar abastecendo presos com telefones celulares, armas e drogas, restando apenas a possibilidade de que funcionários corruptos do sistema penitenciário sejam os responsáveis pelo problema e, sem qualquer outra desculpa, o Poder Público teria que finalmente arcar com o ônus de sua possível incapacidade de gerir a segurança de nossas unidades prisonais buscando um meio de solucionar a questão de uma vez por todas!
Não seria mais necessário, por exemplo, tentar atribuir às operadoras de telefonia celular a obrigação de desenvolver sistemas que impeçam o funcionamento dos celulares dentro dos presídios, com o propósito de resolver um problema que absolutamente não é das empresas de telefonia, mas do Poder Público.
Até porque, se telefones celulares não funcionarem mais em presídios mas a corrupção continuar em atividade, os presos comunicar-se-ão com o exterior com rádios e continuarão a ter acesso a drogas e armas!

9 comentários:

Anônimo disse...

Por que as regras não mudam? Por que as regras para as prisões brasileiras são mantidas frouxas? Porque têm muitos políticos, autoridades e "empresários" com alto potencial de serem condenados e presos?

Sérpico disse...

Bom dia Rayol. Não entendi porque você se pergunta porque não são Proibidos os celulares nos presídios Brasileiros. Você Rayol sabe a resposta. Caso não se lembre, aqui vai: O CRIME ORGANIZADO TEM BRAÇOS NA POLÍTICA, NA JUSTIÇA, NA POLICIA FEDERAL, NO MINISTERIO PÚBLICO. E POR ISSO QUE OS CELULARES SÃO PERMITIDOS. PORQUE INTERESSA QUE O CRIME NÃO PARE. O CRIME ORGANIZADO É UM NEGOCIO MUITO LUCRATIVO ASSIM COMO FOI FALADO NO SEMINARIO SOBRE CRIME ORGANIZADO ONDE VOCÊ RAYOL PARTICIPO. SABE O QUE ESTÁ FALTANDO A POLICIA FEDERAL: MENOS RETÓRICA E MAIS AÇÃO. ACHO QUE AQUI VOCÊ TEM AS RESPOSTAS QUE PROCURAVA. MAIS POLICIA E MENOS POLÍTICA RAYOL.

Ester disse...

Pois é...

Enquanto isso, o astronauta Marcos Pontes foi demitido (foi prá reserva - é a mesma coisa) porque vendia chaveirinho no site.

Agora o mundo todo vai saber que a justiça no Brasil é rápida e implacável com aqueles que não respeitam as leis.

Triste Brasil.

Ricardo Rayol disse...

Só esqueceram da bizarrice chamada visita intima

COP disse...

"SUSPEITOS MORTOS" ou "MORTES SUSPEITAS"

A SSP de São Paulo conseguiu uma proeza: "Reduziu" a taxa de "suspeitos mortos" em 30 %.

De 110 para 79. Uma redução de fazer inveja a qualquer presidente de Banco Central.

Pena que seja apenas uma manipulação barata das estatísticas.

Dos "agora" 79 suspeitos mortos, 24 (30 %) não foram ainda identificados. (79 - 55)

Das outras 31 mortes "normais" (110 - 79), apenas 8 foram identificados. Faltam 23 (74 %) a identificar. (31 -8)

Muito "estranho" esse altissimo índice de NÃO IDENTIFICADOS, justamente entre as "mortes normais".

Só falta agora os laudos do IML virem assinados pelo Shibata.


Vai ser preciso uma apuração séria e independente para este caso.

Anônimo disse...

Quando os ataques do PCC começaram e policiais começaram a ser assassinados, todos se cagaram de medo e se esconderam em suas casas. Ninguém criticava as mortes de bandidos quando a polícia começou a se defender e revidar. Agora que a tempestado passou, têm políticos, MP´s, ongueiros dos "direitozumanos", jornalistas oportunistas e outros "ichas" e "ões" mais que querem ser os "verdadeiros paladinos da justiça", e querem massacrar os policiais. Cambada de imorais! Quando o terror do PCC voltar, todos esses "inhos" vão se cagar de medo outra vez e se esconderem em seus seguros lares!

Vamos deixar de viadagem!!!

Anônimo disse...

O sistema é falido por vontade política. Um exemplo: o sujeito é condenado a 5 anos e 4 meses por roubo com emprego de arma de fogo( art 157, I CP).Obtem a progressão com 1/6 da pena cumprida, ou seja, depois de apenas 11 meses. Tudo isso com direito a 5 refeições por dia, esportes , a bizarra visita íntima e o net work que adquirem com os demais presos!!!Cadê o medo de ser preso que as pessoas tinham antigamente???? Porque a bandidagem apelidou o período descrito acima como "sabático"!!! Isto posto, chego a conclusão que hoje o crime infelizmente compensa.

Abcs
Rubone

Anônimo disse...

Se soltar todos os presos não veremos diferença alguma, ou seja, vai ficar a mesma merda de sempre.

Marcus Nery disse...

Não me assusta essas suposições óbvias por parte das autoridades de autoridades ligados à segurnaça internacional.

Muitos dos problemas do Brasil podem começar a ser solucionados pelo óbvio mesmo.Entretato, o óbvio para nós é diferente para o óbvio dos políticos.

Para eles, cada decisão tem todo um jogo partidário. Cada medida votada e vetada não é analisada apenas na ótica de quão boa será para o país, mas pela ótica de quão boa será para a reeleição. E esse é um ciclo vicioso, que passa de para cada político da nova geração.

Eu ainda sou da arcaica opinião de que política não devia ser profissão. Talvez assim teríamos políticos que queiram o bem do Brasil, mesmo sem a vontade e o ímpeto que o dinheiro proporciona.