sábado, 4 de março de 2006

Quartel do Exército assaltado!

Na madrugada de sexta feira (ontem) cerca de sete homens fortemente armados, com uniformes camuflados e capuzes atacou um quartel do Exército no bairro de São Cristóvão no Rio de Janeiro.
Os 10 soldados que guarneciam o quartel foram rendidos, alguns agredidos e os bandidos roubaram 10 fuzis FAL e uma pistola.
Em razão do ataque, no dia de hoje, mais de 600 homens do Exército com veículos blindados e apoio de policiais civis e militares ocupam e vasculham várias favelas cariocas próximas ao quartel assaltado na esperança de recuperar as armas roubadas (a foto que ilustra este post é do Jornal do Brasil).
O porta voz do Exército diz que os militares só saem das favelas quando encontrarem as armas.
Trata-se de estratégia conhecida que já deu certo outras vezes.
Com a favela cheia de soldados, os usuários de drogas (clientes dos traficantes), não aparecem, o faturamento das "bocas" vai a zero e os traficantes resolvem entregar as armas para que o comércio de drogas seja retomado.
Quando e se as armas forem recuperadas, o Exército se retira e o narcotráfico pode voltar a trabalhar em paz e os militares voltam a não ter mais nada a ver com isso.
O problema é que a tática só funciona se as armas roubadas estiverem em uma das favelas "sufocadas", caso contrário, os militares podem ficar "morando" nas favelas que não vai aparecer arma nenhuma.
Nesse caso, o Exército sai desmoralizado da estória, como aliás já está com a imagem muito prejudicada no caso.
Lembro-me agora da campanha do referendo do desarmamento, quando os defensores do SIM (fragorosamente derrotado), argumentavam que cidadãos de bem não devem ter armas porque elas acabam indo parar nas mãos de criminosos.
Se o argumento está correto, NINGUÉM pode ter armas, pois se um quartel do Exército guardado por dez militares (supostamente treinados para combate), não consegue resistir à investida de um grupo de bandidos, o que é que está a salvo das mãos de criminosos neste país?

6 comentários:

Sérpico disse...

O excército nunca deveria ter saido da favela.
Segundo a constituição as forças armadas devem preservar a ordem e evitar a inestabilidade das instituições perante agentes que coloquem em perigo a paz social. Alem de defender a patria de agentes externos ou internos que tenham como objetivo desestabilizar as instituições.
E os traficantes fazem o que? Brincam de pula-pula?

Jotaesse disse...

Passo a pé, perto de um quartel do exercito. A guarda deste quartel era feito por soldados que só tinham uma proteção contra chuva tipo guarda sol de bar de orla, lateral toda aberta. Recentemente construiram uns muros meio arrendondados tipo guarita (alvenaria + concreto), onde se vê apenas o bico do fuzil, os olhos e a testa do soldado. Os guardas anteriormente andavam prá lá e prá cá, tranquilamente. Ultimamente tenho a impressão que o reco fica ali atrás daquele troço, se "borrando todo". Como as coisas mudaram!

Augusto disse...

Eu não duvido mais de nada. Na casa de um parente meu no carnaval tentaram aplicar uma extorsão pelo telefone. O primeiro telefonema foi efetuado de dentro do prédio sede do Banco do Brasil na Rua Senador Dantas, no Rio.Os outros dois telefonemas foram de celular. Tem vagabundo analisando e passando os cadastros dos correntistas, e efetuando ligações a cobrar com o telefone do banco. A gerência já foi avisada.

Anônimo disse...

O gozado disso tudo é que as pesquisas que dizem que o presimente lulla é o favorito da próxima eleição são feitas pelos mesmos institutos que diziam que a proposta do desarmamento iria ganhar o referendo com folga.Será que são entrevistados os mesmos idiotas, ou o PT ainda tem as burras cheias para comprar os Institutos?

Novina de Taubaté.

Anônimo disse...

Se os bandidos já não respeitam as forças armadas. Quem dirá os civis!
A culpa disso tudo foi dessa Constituição cidadã de 1988. Antigamente a polícia subia o morro metia o pé na porta dos barracos e pegava os bandidos.Dava porrada ou quebrava mesmo o meliante para ele não funcionar nunca mais. Agora o policial que fizer isso está lascado para sempre. Simplesmente foi isso que mudou, todos não gostam da tal da democracia? Aqui no Brasil democracia é sinônimo de avacalhação.

Sérpico disse...

Precisamos voltar ao sistema de "tolerância zero" nas policias. Estamos vivendo um estado de guerra interna. E na guerra não se respeita o inimigo. Se mata ele. Em toda guerra é assim. Veja no Iraq. A chamada primeira democracia do mundo, USA, até hoje tem "seqüestrados" na ilha de Guantanamo inúmeros dissidentes. E ninguém sabe nem sequer o nome dessas pessoas. Isso que é "tolerância zero". Passa um sinal vermelho nos Estados Unidos e você vai ver o que é policia. Aqui no Brasil, malaka ri da policia e ainda masacra ela. Vamos mudar o Brasil. Lugar de pilantra e no buraco!