quinta-feira, 29 de dezembro de 2005

Mortes INÚTEIS!?

Na foto acima, do jornal O DIA, o funeral dos dois policiais civis assassinados.
Na tarde da terça feira, em uma ação extremamente ousada (o que já não é novidade há muito tempo no Rio de Janeiro), oito bandidos fortemente armados inclusive com fuzis de guerra atacaram um carro da polícia civil carioca na porta do fórum da Ilha do Governador.
A viatura policial transportava sete presos que seriam interrogados em uma audiência judicial e o objetivo dos bandidos era libertar o traficante SASSÁ, um dos presos transportados pelos policiais.
No tiroteio que se seguiu, dois policiais civis e dois bandidos foram mortos e no resto do dia o bairro da Ilha do Governador se transformou em um inferno com centenas de policiais envolvidos em uma caçada ao resto da quadrilha que atacou a viatura policial.
Os sete bandidos transportados na viatura policial foram libertados, mas o traficante SASSÁ (que segundo a polícia seria o alvo da ação), não foi libertado, pois os bandidos erraram e atacaram outra viatura.
O secretário de segurança do Rio de Janeiro se apressou em declarar à imprensa que a segurança do comboio de transporte de presos era frágil.
Ainda bem que contamos com uma autoridade desta envergadura intelectual para nos dizer isso, senão jamais desconfiaríamos de tal obviedade!
No decorrer das ações da polícia, os bandidos libertados foram recapturados e seis dos oito bandidos que atacaram a viatura policial também foram presos, mas esse resultado está longe de constituir uma vitória, afinal de contas dois policiais foram mortos.
O ideal é que o ataque sequer ocorresse se houvesse um gerenciamento sério da segurança pública carioca, com uma escolta de presos que tivesse efeito dissuasório sobre a ação de facínoras, evitando a morte de policiais.
Depois da porta "arrombada" a atitude de trocar a fechadura não merece nenhum elogio.
O que todo mundo quer saber é porque em pleno século XXI, quando tecnologia disponível e barata permite que se realize tele conferências reunindo pessoas de qualquer parte do mundo, presos ainda precisem ser transportados de um lugar para outro possibilitando lamentáveis ocorrências desse tipo, com riscos e transtornos para a população ordeira e com a irreparável perda da vida de policiais.
Qualquer adolescente de 12 anos hoje é capaz de realizar tele conferencias pela Internet.
Se o problema é a tele conferencia, porque os juízes e todos os envolvidos (advogados, promotores e testemunhas), não podem se deslocar para os presídios para realizar lá as audiências.
Será que é para não amarrotar suas togas?
O VOX LIBRE acha que as famílias dos dois policiais civis mortos gostariam muito de saber as respostas a tais questões!

3 comentários:

Elaine disse...

Pois é, depois da casa arrombada como o delegado bem citou, agora, segundo foi noticiado na tv eles irão contruir uma vara criminal dentro dos presídios.
Enfim, lamento pelos policiais e suas respectivas famílias e desejo sinceramente que um dia tenhamos pessoas responsáveis nos órgãos policiais e com boa vontade para com a população carioca para que um dia possamos sonhar com um Rio de Janeiro "seguro" e bonito de se ver e morar.
Desejo um 2006 repleto de alegrias e muita paz para o amigo blogueiro e sua família, bem como para os visitantes do Vox Libre.
Sds...Elaine Paiva

Persegonha disse...

Estava pensando nisso: teleconferência. E ela tem uma vantagem: bastaria transcrever o que estava gravado para os autos.

Quanto ao juiz se deslocar para o presídio, acredito que não seja o certo. O bandido é que tem que ir até o juiz (mantendo-se esse sistema, claro).

Na boa, o que esses traficantes merecem é um regime severo, severíssimo, como o que existe nos EUA.

Helena disse...

Enquanto os caras do colarinho branco continuarem roubando e o STF continuar concedendo habeas corpus para estes bandidos; enquanto não houver PENA DE MORTE PARA TRAFICANTES E SEQUESTRADORES, este país não tomará rumo.