quarta-feira, 28 de dezembro de 2005

Grande queima de fim de ano!

Época de virada de ano é sempre tempo de jogar papel picado pela janela e promover queima de fogos.
Ontem de manhã, em Brasília, as duas coisas aconteceram ao mesmo tempo: um grande incêndio consumiu seis dos dez andares do edifício sede do INSS.
O fogaréu consumiu, entre outros setores, o de Receita Previdenciária, área de cuida dos grandes devedores e sonegadores da previdência.
Processos estratégicos no combate à sonegação de contribuições previdenciárias foram irremediavelmente destruídos.
Que maravilha!!!
Parece que a capital da República está diversificando sua vocação culinária.
Doravante não será mais correto afirmar que em Brasília tudo acaba em pizzas, poder-se-á dizer também que, em determinados casos, a coisa acaba mesmo é em churrasco!
"Otoridades" do INSS se apressaram em informar à imprensa que não haverá prejuízo algum ao andamento dos processos de cobrança, porque há cópias de tudo o que foi queimado (exceto das "provas materiais").
Não pude deixar de lembrar quando o dinheiro da Operação Caravelas foi roubado da sede da Polícia Federal no Rio de Janeiro em setembro e um "brilhante" delegado correu para a frente das câmeras da TV para dizer que o dinheiro roubado tinha sido fotocopiado.
ERA MENTIRA!!!

3 comentários:

Anônimo disse...

Prezado Rayol.

O problema maior da PF hoje em dia é que ela é comandada, com rarissimas exceções, por brilhantes delegados apostilados e brilhantes novos delegados e todos só falam mentiras.São os velhos babões dirigindo os novos bobãos.Tomara que isso mude após as eleições.
Feliz ano novo.

Bertin

Romero disse...

O Brasil é tão "competente" que nem mesmo as chamas haviam se apagado e os bombeiros da capital afirmavam taxativamente que o incêndio começou num ar-condicionado ! Nos Estados Unidos por exemplo, país certamente "incompetente", um laudo para determinar as causas de um incêndio dura semanas. Técnicos altamente especializados com a ajuda de cães farejadores, treinados para descobrirem qualquer substância chamada de catalizadores, são alocados para o incêndio que pode ou não ser crimimoso. Em um prédio público, que guarda processos de crimes, a investigação seria muita mais minuciosa ainda. Mas no Brasil é diferente! Vem um bombeiro que mal deve ter o segundo gráu e fala de forma taxativa que foi o ar-condicionado e ponto final. Afinal aqui é o Brasilll, e fica tudo por isso mesmo!

Helena disse...

Em tempo:

Hoje, 30/12/2005, ainda procuro um famoso bonequinho, semelhante ao que o Diogo Mainardi ganhou, para queimar na virada do ano, para ver se exorcizamos este país.