segunda-feira, 13 de junho de 2005

TAGARELA DO ARAGUAIA

Convidado do deputado Jair Bolsonaro (PFL-RJ), o coronel da reserva Licio Maciel confirmará na sessão da Câmara pelos mortos do Araguaia, no próximo dia 24 de junho, que seu ex-prisioneiro José Genoino (atual deputado federal e presidente nacional do PT) delatou companheiros da guerrilha.
Deu na Coluna do Cláudio Humberto no jornal O DIA do Rio de Janeiro, edição de hoje.

3 comentários:

LCMarques disse...

Será que agora ficará esclarecida a história do cachorro que o Genoíno conta, quando ele estava amarrado em uma arvore?
Folclore ou verdade? Namoro ou amizade? Inquietações do povo..

Ricardo Rayol disse...

Poxa, no pau-de-arara o cara tem que ter sangue de barata para não confessar. Duvido que qualquer um aqui faria diferente. Conheci um cara que foi torturado na época da ditadura. Dava pena de ver. Ficou deformado, bebia que nem um louco e acabou se matando.

Asdrubal disse...

Genoíno declarou ao jornalista Luiz Maklouf Carvalho que não foi torturado.
Ninguem tocou num fio de cabelo dele, afianço (eu era o comandante da patrulha que o prendeu na mata).
Mesmo depois de ter sido achada a mensagem escrita que ele levava do Osvaldão para o comandante do grupamento C, o Antonio da Dina, ninguém o tocou.
O guerrilheiro de festim falou fluentemente, confirmando todas as revelações que Pedro Albuquerque já tinha declarado.