quinta-feira, 16 de junho de 2005

Operação CEVADA x Operação AMBEV

Voltando ao assunto.
É só a SCHINCARIOL que sonega imposto?
Você acredita SINCERAMENTE que as outras cervejarias não sonegam impostos?
Enquete do BLOG: quem sonega impostos?:
Realmente, acho que todas as cervejarias sonegam impostos, e aí pergunto, CADÊ AS OUTRAS?
Acho que o certo seria investigar TODAS as cervejarias!
Sob pena de restar uma sombra pairando sobre a legitimidade das investigações!
Tempos atrás, em uma vistosa operação policial com o pomposo nome de FAROL DA COLINA, várias casas de câmbio foram “fechadas” em diversas capitais do Brasil.
Nenhuma casa de câmbio de Brasília foi atingida na tal operação policial.
Não há casas de câmbio em Brasília?
Claro que há.
A quem servem as casas de câmbio de Brasília?
Inquirido a respeito pela imprensa, o Diretor Geral da Polícia Federal, delegado Paulo Lacerda, alegou que as casas de câmbio de Brasília realmente não foram investigadas na operação policial FAROL DA COLINA, mas que isso não significava que não pudessem ser atingidas em uma segunda fase da operação policial.
Até hoje, a tal “segunda fase”, ainda não aconteceu!!!
Cadê a segunda fase doutor Paulo Lacerda???

10 comentários:

Jaime Leitão disse...

Brilhante e pertinente a sua colocação. Assim que a Operação Cevada prendeu mais de sessenta pessoas ligadas à Schincariol, inclusive os seus proprietários em Itu, perguntei a mim mesmo: e a Ambev?
Uma operação dessa magnitude não pode ser feita pela metade.
Considero mais do que necessário que as empresas que sonegam impostos sejam pegas, mas que isso ocorra com todas.

LCMarques disse...

A CERPASA em Belém/PA, fabricantes da famosa "Cerpinha, estão enrolados até o pescoço por doações de campanha onde tiveram direito a uma baita isenção de tributos. Fala-se em 50 milhões a doação oficial. No final do mês passado a Assembléia Estadual sepultou um pedido de CPI. O PT como sempre foi incompetente para levar o caso adiante, até porque tem uma Senadora que colocou o ex-marido na Gerencia do IBAMA e recebeu doações de madeireiros na sua campanha.
Se puxar o fio, o novelo se desfaz.

elaine disse...

É claro que todas têm sua caixa dois. E pra dizer a verdade pagar imposto pra quê? Para ver esses políticos metendo a mão no dinheiro e não fazendo nada com os impostos que nós pagamos. Eu não vejo a menor motivação nesse país para se pagar imposto.

No caso das empresas de Cerveja (ou qualquer outro ramo) penso que a concorrência deva ser leal e saudável. Nesse caso, enquanto uma "supostamente" usa de forma ilícita para derrubar a outra. A concorrente por sua vez, usa de poder - principalmente do poder estrangeiro - para desqualificar a outra. É importante lembrar que muitas pessoas dependem da empresa para manter suas famílias.
Não estou aqui dizendo que os crimes não devam ser investigados, pelo contrário, sou e sempre fui a favor da lei, e que aqueles – que comprovadamente – cometeram crimes sejam condenados. Mas há de se resguardar o andamento da empresa até que o processo seja encaminhado a justiça e que lá se decida o futuro da empresa.

Eu não bebo redonda, nem a nova e muito menos a quadrada, simplesmente, eu não bebo cerveja, prefiro os vinhos do sul que são muito bons. E pouco me interessa qual é a melhor e a que mais vende. O que me interessa é saber como ficará a auto-estima e a situação dos funcionários da empresa que sabem muito bem, que mesmo que nem todas as acusações sejam comprovadas, a empresa a partir desse momento entrou em estado crítico e que em breve muitos deles perderão seus empregos.

No caso da AmBev eu gostaria de lembrar aos amigos que na época a união das cervejas causou grande polêmica e, ao meu ver, essa união foi realizada praticamente na marra com o apoio de muitos políticos. O que causou prejuízos a outras empresas. Deveria-se então também abrir a caixinha preta da AmBev , inclusive, a união com a ImBev.

Finalizando, só como nota o secretário do Desenvolvimento e Assuntos Internacionais, Luis Roberto Ponte(RS), esclareceu que o caso envolvendo a Schincariol não afeta o RS. Ele garantiu que a empresa só foi beneficiada pelo Fundopem depois de se comprometer em pagar o ICMS com a mesma base de cálculo utilizada pelas demais cervejarias. Fonte: (Jornal Correio do Povo)
Segundo a informação acima fica claro que a Schincariol paga outros valores de ICMS em outros estados. Ora, isso nos faz voltar ao advogado. Se a empresa não paga a mesma base de cálculo, nos leva a crer que seja pelas liminares concedida a empresa para redução dos cálculos do ICMS. Mas fica a pergunta, baseada em quê? Se alguém souber, explique.
Fonte da Nota: http://www.correiodopovo.com.br/jornal/A110/N259/html/01DONOS9.htm
INCENTIVO DO FUNDOPEM/RS

Trata-se de um incentivo já consagrado na política de atração de investimentos industriais para o Rio Grande do Sul. Consiste em financiar parcela de até 75% do ICMS incremental devido mensalmente pelo estabelecimento incentivado. O tributo ICMS é o responsável pela principal fonte de arrecadação de recursos financeiros pelo Estado:
http://www.sedai.rs.gov.br/fundopem.html

Ilton disse...

Quando vi a notícia, ontem, foi a primeira coisa que me veio à cabeça. Ainda comentei o fato com minha esposa: "aí tem coisa. Por que só a Schincariol, exatamente agora que ela está se consolidando no mercado?" Cada vez mais admiro sua lucidez, prezado Antônio, mas tem gente por aí bebendo demais... Um abraço.

Anônimo disse...

Se investigarem todas as cervejarias não vai sobrar nem a cerveja do Ratinho pra gente beber, vamos ter que beber o que ??? Refrigerante ??? Ihh refrigerante também tá sujo ... acho melhor chupar o dedo ou legalizar a maconha logo.

LCMarques disse...

"A Operação Cevada, que prendeu dirigentes da cervejaria Schincariol, guarda grandes semelhanças com as ações que levaram à descoberta das propinas (R$ 16,5 milhões) que a Cerpa destinou ao ex-governador Almir Gabriel e ao atual, Simão Jatene, ambos do PSDB, em troca de perdão às dívidas fiscais de R$ 47 milhões."

Fonte: O Diário do Pará, coluna Reporter Diário de hoje.
www.diariodopara.com.br

ET: O jornal é do Jader Barbalho...

Ricardo Rayol disse...

A Schin ter sido pega não é novidade considerando que há tempos saiu uma nota em algum lugar onde a AMBEV ou a Kaiser reclamavam que nesse mato tinha coelho. E também como podemos criticar que com a carga de impostos que temos (e seu mal uso) alguém queira sonegar. Aproveitando: Soua favor da desobediência civil. Pago imposto compulsoriamente, esse imposto é mal usado e não tenho o direito de sonegar. Pela isonomia da sonegação!!!

Sandro Araujo disse...

Meu caro Rayol,
Muito pertinente sua colocação. Nos primeiros instantes da Operação "Cevada", já era evidente que se tratava de mais uma pirotecnia contra pessoas que não são tão "amigas" dos elementos certos, do nosso governo. Governo, aliás, que evolui mostrando todo o planejamento feito na década de oitenta, regado a infindáveis doses de rabo-de-galo, em botecos do ABC paulista.
Mais uma vez, PARABÉNS!!!Conte com este colaborador, para o que precisar.

Sandro ( do Clube Naval e do Kickboxing, de Niterói )

Anônimo disse...

É só o DUDA MENDONÇA que participa de rinha de galos?

Você acredita SINCERAMENTE que outros políticos de partidos distintos não participam, também, de rinha de galos?

Realmente, acho que outros políticos e cidadãos do Rio de Janeiro ou Niterói participam, eventualmente, de rinhas de galos, e aí pergunto, CADÊ OUTRAS DILIGÊNCIAS?

Acho que o certo seria investigar TODAS as rinhas de galo, inclusive as de Niterói e as demais do Rio de Janeiro!

Sob pena de restar uma sombra pairando sobre a legitimidade das investigações!

Tempos atrás, em uma vistosa operação policial, foi preso o pompilioso, ou melhor, pomposo DUDA MENDONÇA.

Mesmo DPF´s tendo sido removidos para outras unidades, nestas novas lotações nenhuma rinha de galo foi atingida em nova operação policial.
Não há rinhas de galo em Niterói ou no Rio de Janeiro?

Claro que há.

A quem servem as outras rinhas de galo do Rio de Janeiro e Niteroi?

Será que não cabe mais nenhuma investigação no Estado do Rio de Janeiro sobre as demais rinhas de galo? Será que foi coincidência que a única diligência em rinha de galo tenha pego DUDA MENDONÇA?

Será? Será? Será?(Skol)

Paulo Falcão disse...

Prezado Rayol,
Se não o conhecesse, diria que é um desinformado; conhecendo-o, afirmo que o amigo está mal informado.
A Operação farol da Colina - que coordenei nacionalmente, cumulativamente com a presidência do IPL 207/98 - Caso Banestado -elencou, por razões de serviço, em completa sintonia com o MPF e Judiciário, "apenas" quarenta contas de doleiros. Infortunadamente, não havia nenhuma de Brasília. Se o amigo conhecer alguma, favor encaminhar com elementos para o e-mail dfin@.dpf.gov.br ou para o ao final indicado.
Não houve - e o amigo me conhece bem para saber que eu não aceitaria qualquer interferência -externa ou interna que viesse a macular o nome de nossa Instituição.
Quanto à segunda fase, com cerca de 3500 pessoas já identificadas, espero contar com o amigo para encerrar essa fase das investigações e dar à sociedade a satisfação que ela espera e merece.
Um cordial abraço,
DPF Paulo Falcão
falcao.prfr@dpf.gov.br