sábado, 11 de junho de 2005

MATANDO PASSARINHOS!

Algum de vocês já teve a oportunidade de segurar um passarinho em sua mão?
É preciso arte e sensibilidade para fazer isso, se apertar demais, machuca, se afrouxar muito, ele foge.
A natureza do passarinho é fugir, ele foi feito para voar.... Se não voa, não é passarinho!
Já passei por essa experiência ao ter que medicar, como charlatão veterinário de emergência, passarinhos apreendidos com traficantes de animais silvestres, à época em que trabalhei como chefe da delegacia de crimes ambientais da Polícia Federal no Rio de Janeiro.
Cargo de onde fui defenestrado depois de prender o marqueteiro mor da República, DUDA MENDONÇA em uma rinha de galos.
O “cara” é amigo íntimo do presidente LULA, e deu no que deu!
Se queriam me dar uma lição, não aprendi nada! Se encontrar DUDA MENDONÇA em uma rinha de galos outra vez, prendo de novo!
Mas voltando ao passarinho... Segurar um na mão é uma experiência impressionante. Sentir o calor e a vida pulsando em um corpo tão pequeno e frágil.
Só pode ser um dos mais perfeitos exemplos de engenharia divina o tal do passarinho.
Uma coisa tão pequena, tão viva, capaz de voar e cantar.
Realizar com um corpo tão minúsculo, o grande sonho irrealizável do poderoso HOMO SAPIENS... voar por seus próprios meios, o arquétipo de ÍCARO.
Há cientistas que defendem a tese de que os dinossauros não desapareceram, mas se transformaram em aves. De repente eu segurei em minhas próprias mãos um legítimo e genuíno descendente direto de um TIRANOSSAURUS REX.
E ele era tão simpático, não lembrava em nada um impiedoso monstro devorador!
Os passarinhos carnívoros, hoje, no máximo comem minhocas (me perdoem os defensores das minhocas!).
Pois tem gente que atira pedras em passarinhos. Será que o presidente LULA já fez isso?
Aquela foto lá de baixo é suspeita!
Matar passarinhos a pedradas... Que horror!
Pois o “seu” DUDA MENDONÇA, marqueteiro do PT, detentor de milionárias contas publicitárias do governo federal (nosso dinheiro), gosta de rinha de galos.
Diz que é um hobbie dele, os galos brigam até morrer e ele, e outros, apostam dinheiro nisso.
Eu gostaria de ver uma rinha entre o DUDA e o MIKE TYSON, eu até apostaria uma grana, no TYSON claro!
O FBI, a polícia federal dos EUA, tem um estudo sobre serial killers que mostra que todos os estudados tiveram episódios de violência contra animais na infância.
Quando adultos exerceram violência contra seus semelhantes!
A mórbida atração por espetáculos de sangue não é coisa de gente normal, pessoas normais não gostam de ver sangue.
Mas há quem goste de matar passarinhos a pedradas...

5 comentários:

Alexandre Ferreira disse...

Eu já segurei um passarinho na mao varias vezes e sei como é a sensaçao. Agora cuidados médicos já tá longe da minha alçada rss.

Agora que me dá raiva é esse cidadão Duda Mendonça ficar solto, com um crime desses, praticando rinhas de galos. Seu Lula deve ser um hipócrita!!!

Ricardo Rayol disse...

achei tão interessanteestepost que vou fazer o comentário no meu blog.

sheila moura disse...

amigo, pior foi quando mediquei, do jeito que pude, alguns galos aprendidos numa rinha. Eram 4 e estavam no quintal do local "estourado" , largados a propria sorte. Todos eles se esvaiam em sangue e sem forças para manter-se em pé.... foi triste, mesmo.
Acho que pior mesmo foi quando descobrimos uma arena de pit-bull e tivemos que sacrificar 5 animais pois as fraturas e mordidas levavam os animais deseperados ganirem de dor.... nào dava nem para chegar perto de 2 deles e conseguimos anestesia-los com muita dificuldade. Os outros, estavam mais mortos do que vivos e 2 eram viras-latas que , provavelmente, foi usado para "aquecimento" na luta. Encontramos um gato, tambem, mas já estava morto, todo dilacerado.
E nosso Duda acha tudo formidável.... O sr. soube que um municipio do ES permitiu, atraves de legislação municipal, a realização de rinhas? Vou mandar.
sheila

elaine disse...

Eu jamais seguraria um passarinho nas mãos. Alias hoje em dia eu não seguro nem um bebê, pois sou desajeitada e bruta demais. Por outro lado penso que a fragilidade é inerente a todos nós - seres humanos.A diferença é que o passarinho quando pressente o perigo foge(ou voa) para distante daquele que poderá ser o seu algós, ao contrário de nós que quando pressentimos o perigo teimamos em enfrentá-lo.
Ainda bem que não temos asas para fugir(ou voar), pois a vida não teria a menor graça se não conseguíssemos enfrentar os perigos que nos rodeiam, mesmo que paguemos um preço caro por tal atitude.
O Governo(ou governantes) se pudessem optariam por ter asas para fugirem de responder ou enfrentar as dificuldades de um país maravilhoso, porém, com uma série de problemas sociais e carente, acima de tudo, de respeito.
Ainda bem que o povão, não é o governo e muito menos um passarinho, pois se assim o fosse, estariamos em uma situação pior da que vivemos hoje.
Acho sensasional que pode segurar um passarinho e entender a dimensão da perfeição da natureza e da energia maior, mas admiro mesmo aquele que pode libertá-lo e deixar que a vida siga como deve ser.
sds

Gabriella Scelza disse...

Acho que a lição dada não foi pra vc, espero (e me orgulho disso como alguem que cresceu almoçando na sua casa quase todo dia) que vc não tenha mesmo aprendido nada com isso e continue fazendo, como um dos poucos neste pais onde os politicos acham que estão brincando de casinha, o seu trabalho. A lição foi pra gente, as pessoas que assistiram a tudo o que aconteceu com vc, e morrem de vergonha de viver essa política falida e imoral... cada vez mais aprendemos a olhar TUDO de forma critica.