segunda-feira, 30 de maio de 2005

Viagem do Lulinha ao oriente

Nosso ilustre presidente da república, Lulinha Paz e Amor, mais uma vez viajou ao exterior a bordo do AeroLula 51. Foi ao Japão e à Coréia do Sul. No Japão ouviu queixas dos brasileiros que lá foram viver, em busca de melhores condições de vida, são os chamados DEKASSEGUIS, brasileiros descendentes de japoneses. Lula disse que vai fazer todo o possível para que os brasileiros no Japão tenham o mesmo tratamento que os japoneses têm no Brasil.
Mais uma vez, nosso ilustre presidente demonstra o que todo mundo aqui já sabia, é um idiota falando do que não sabe, e por isso só fala besteiras, trata-se da exportação daquilo que o genial jornalista Sérgio Porto, sob o pseudônimo de Stanislaw Ponte Preta chamava de FEBEAPÁ - FESTIVAL DE BESTEIRAS QUE ASSOLA O PAÍS.
Quais japoneses vivem no Brasil, é a pergunta. O Brasil pode dizer que conta com a maior colônia de descendentes de japoneses fora do Japão, mas são todos cidadãos brasileiros, filhos ou netos de japoneses. Japonês nato no Brasil é uma raridade!
Qualquer japonês que venha viver hoje no Brasil vai enfrentar terríveis dificuldades à luz da legislação de estrangeiros.
O Japão têm carência de mão de obra e, por isso, facilita a imigração de descendentes de japoneses, sejam de que nacionalidade for, desde que tenham cara de japonês. Se falarem o idioma nipônico, melhor!
Melhor faria nosso presidente, se viajasse menos, trabalhasse mais e falasse pouco, ou melhor, falasse nada.
Talvez os cidadãos brasileiros descendentes de japoneses não se sentissem seduzidos em se aventurar no Japão se as condições de vida fossem melhores aqui no Brasil.
Se os brasileiros no Japão forem tratados como os reais japoneses são tratados no Brasil hoje, como prometeu o Lulinha Paz e Amor, os dekasseguis estão ferrados.
No Brasil não há emprego nem para brasileiros, quanto mais para japoneses.
Lula não tem que mandar brasileiros levantar o traseiro da poltrona. Tem que sentar o traseiro no Palácio do Planalto e trabalhar, coisa que ele parece que não sabe fazer, apesar de ser fundador do partido dos Trabalhadores.

Um comentário:

Ricardo disse...

É primo. A coisa anda preta mesmo. O problema maior não é o presidente viajar (coisa que o FHC fazia bastante). O pior de tudo é vermos que viajando não faz a menor falta.